quinta-feira, 28 de abril de 2016

Jovem agredida por namorado na Bahia perde bebê, diz família; suspeito do crime foi liberado após pagamento de fiança

A jovem de 21 anos que foi internada no Hospital Base de Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, após ser espancadada pelo namorado, perdeu o bebê, segundo informou a família na manhã desta quinta-feira (28). O suspeito do crime, Américo Francisco Vinhas Neto, foi preso em flagrante, mas liberado após pagamento de fiança e responde por crime de lesão corporal em liberdade.

Com base em informações de familiares do suspeito, o advogado Gutemberg Macedo afirma que os dois não eram namorados. Ele conta ainda que, no momento da agressão, ambos estavam em uma festa, quando Américo Francisco teve um surto psicótico e agrediu Jéssica Nascimento.

A família da vítima diz que ambos tinham um relacionamento amoroso e afirma que a jovem foi agredida dentro de casa. De acordo com a mãe da jovem, Geane Augusta da Silva, o estado de saúde da filha é muito grave. Ela diz que, após perder o bebê, a jovem ainda não foi submetida a uma cirurgia para a retirada do feto.
A tia de Jéssica, Elma Augusta da Silva, diz que o procedimento cirúrgico ainda não foi feito por conta do estado de saúde grave da jovem, que foi internada em coma induzido. "Ela está muito inchada. O hospital não retirou o feto, que está morto, por ela estar entubada e tomando medicamentos fortíssimos, não tem condições de fazer cirugia. Não é indicado fazer essa cirurgia. Ela tá muito inchada, o corpo todo", diz.

Elma afirma que a sobrinha faz uso de antibióticos para tratar a infecção causada pelas agressões. Segundo a direção do hospital, Jéssica está sedada e a previsão é de que a cirgurgia seja feita na sexta-feira (29).

A jovem tinha quatro meses de gestação, conforme a tia, que não soube informar se o suspeito das agressões é pai da criança. De acordo com a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), o crime ocorreu na segunda-feira (25), por volta das 7h30, dentro da casa da vítima. As motivações das agressões ainda são desconhecidas.

"A familia está lutando por Justiça porque esse é um crime inafiançável. Por conta da pancada, o bebê morreu e a gente considera um homicídio. A gente luta por Justiça para que outras pessoas não caiam na lábia desse rapaz", afirma a tia.

O G1 tentou contato com a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) para obter esclarecimentos sobre as razões que justificam a soltura do suspeito por fiança. A titular da unidade, Decimária Cardoso Gonçalves, disse que a situação foi atendida pelo delegado plantonista Luiz Gustavo e que ele só estará na unidade na sexta-feira (29). Ela disse que não tinha detalhes sobre o caso, nem sobre o valor aplicado na fiança. Inf: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário