sexta-feira, 29 de abril de 2016

Prefeitura amplia ações para minimizar os efeitos da seca em Itabuna


O prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, confirmou nesta sexta-feira, 29, a ampliação das medidas emergenciais para amenizar os efeitos da grave seca que enfrentam os municípios do sul da Bahia. Vane autorizou a Emasa a fazer novos investimentos na estação de captação reserva de Castelo Novo, em Ilhéus, para ampliar a captação de água dos atuais 350 para 550 litros por segundo. Com o aumento de 200 litros será reduzido o intervalo do abastecimento nos bairros.

Outra medida emergencial adotada pela Prefeitura de Itabuna, em parceria com o Governo do Estado, por meio da Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (CERB), é a perfuração de poços artesianos nas zonas rural e urbana do município. Desse total de poços, três serão perfurados na região do Serrado e em Nova Ferradas, nas proximidades dos condomínios habitacionais do Minha Casa, Minha Vida Gabriela e Jubiabá, que deverão ser inaugurados nos próximos meses, após a conclusão das obras.
O prefeito Vane também anunciou o aumento do número de reservatórios de água instalados pela Prefeitura e Emasa em locais estratégicos da cidade para garantir o fornecimento de água potável oriunda de outros municípios aos moradores de áreas mais carentes. Atualmente esses reservatórios são abastecidos com água de boa qualidade transportada de Ubaitaba por 45 carros pipa alugados pela Emasa e Coordenadoria Municipal de Defesa Civil. Somente na operação de transporte e distribuição da água são investidos R$ 1,9 milhões mensais repassados pela Superintendência Estadual da Defesa Civil. 

TRANSPOSIÇÃO

Além disso, para minimizar os efeitos da seca, que já dura mais de nove meses, a Emasa está fazendo a transposição gradual de água de diferentes trechos do Rio Cachoeira para a estação de captação instalada em Nova Ferradas. A intervenção possibilita o armazenamento e transporte de cerca de 130 milhões de litros de água potável para o abastecimento dos bairros Ferradas, Nova Ferradas, Nova Esperança e Nova Ferradas I e do condomínio residencial São José. Atualmente dessa estação são retirados 60 litros de água por segundo por 12 horas seguidas com intervalo por igual período.
O prefeito Vane destacou que, em parceria com os governos estadual e federal, estão sendo investidos mensalmente mais de R$ 2 milhões em ações emergenciais para garantir que a população de Itabuna não seja ainda mais penalizada por causa da crise ocasionada pela falta de chuvas. “Já são nove meses que estamos trabalhando para que a população tenha água, mesmo com intervalos maiores, embora com alto teor de cloretos”, afirmou, destacando que na captação alternativa do Rio Almada há efeitos das marés.

O prefeito de Itabuna disse ainda que essa seca é histórica e está fazendo com que a Emasa gaste muito mais recursos financeiros do que arrecada, o que compromete a saúde econômica da empresa. Atualmente, são gerados pouco mais de R$ 3 milhões mensais em receitas. Já as despesas estão variando entre R$ 4 milhões e R$ 5 milhões. “Apesar dessa situação todo um esforço está sendo feito para que todos os itabunenses tenham água. 

Nesta sexta-feira o prefeito Vane, acompanhado por técnicos da Emasa e o presidente da Câmara de Vereadores, Aldenes Meira, visitou as estações de captação de Rio do Braço e Castelo Novo, no Rio Almada, e de Nova Ferradas, no Rio Cachoeira. Na primeira estação a captação foi suspensa por causa da falta de água enquanto na segunda estação estão retirados 350 litros de água por segundo, mas com nível de cloreto que não permite o uso para cozinhar e beber. “Por isso temos recomendado aos usuários, consumidores e a população em geral que não faça a ingestão dessa água fornecida”.




Nenhum comentário:

Postar um comentário