quinta-feira, 5 de maio de 2016

Abandonados, idosos moram há quase 3 anos em hospital na Bahia

Dois idosos, ainda não identificados, estão abandonados no Hospital de Base, em Itabuna, no sul da Bahia há quase três anos. Eles chegaram ao hospital sem qualquer identificação, mas como estavam em estado grave, receberam atendimento mesmo sem os documentos. O que dificulta a identificação é que ambos tiveram Acidente Vascular Cerebral (AVC), ficaram sem falar e não têm para onde ir.

O coordenador do serviço social do hospital explica que os idosos deveriam ser transferidos para um abrigo, mas sem identificação a transferência não pode ser feita. Durante o tempo em que eles estão na unidade de saúde, nenhum familiar apareceu para visitá-los. Os próprios funcionários do hospital e pacientes resolveram "batizar" os pacientes de Ana Paula e Osvaldo.

Idosos abandonados moram há quase 3 anos no Hospital de Base, em Itabuna, na Bahia (Foto: Imagens/ Tv Santa Cruz)"Ela [Ana Paula] chegou aqui trazida por um senhor de prenome João, ele disse que é carregador de frutas do Centro Comercial de Itabuna e trouxe uma [outra] pessoa dizendo que morava com ela aqui em Itabuna, isso há três anos. E ela [a paciente] ficou. Quando ela recebeu alta, nós ligamos para esse cidadão, falamos com ele e depois disso, ele não apareceu e sumiu aqui de Itabuna, abandonando ela [a paciente] aqui", relatou Luciano Lopes, coordenador do serviço social do hospital.

Toda assistência recebida pelos idosos abandonados é proporcionada por funcionários e colegas de quarto do hospital. "Dá água a ela, dá comida, bota a comida na mamadeira e dá pra ela. Todo mundo ajuda", disse a aposentada Marinalva Brito que também está internada no local.

Já o idoso que é chamado de Osvaldo, foi atropelado em um distrito da cidade de Santa Luzia, também no sul da Bahia, e depois, já internado no hospital, sofreu um AVC. "Ele foi trazido do distrito de Falhado. Foi encontrado caído na rodovia, vítima de um atropelamento. Nós entramos em contato com a Secretaria de Saúde de Santa Luzia, como também a Secretaria de Ação Social e nada foi revelado a respeito de seu Osvaldo", explicou Luciano Lopes.

Para resolver a situação, o Hospital de Base apelou para a Justiça. Foram quatro ofícios para a Defensoria Púbica, uma ação no Ministério Público e uma audiência. No início desse ano, um juiz intimou a Prefeitura de Itabuna pra providenciar a documentação dos pacientes.

O secretário de Assistência Social do município, Evandro Pereira dos Santos, disse que sabe da situação e que o órgão está tomando providências. "Nós somos orientados a procurar o DPT [Departamento de Polícia Técnica] de Itabuna, para colher as digitais, procurar nos dados do sistema. Seria fácil, mas não foi. Então o DPT nos orientou a procurar o SAC [Serviço de Atendimento ao Cidadão]. A diretora do órgão já protocolou o documento [que solicita a identificação] e ela está nos ajudando nessa questão. Dentro de 30 dias, acredito que a gente já esteja dando a essas pessoas todos os documentos", explicou Santos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário