sexta-feira, 27 de maio de 2016

Greve de médicos na Maternidade Ester Gomes "sufoca" Hospital Manoel Novaes

Sem atendimento na maternidade Ester Gomes, as pacientes só podem contar com Novaes Mais de uma semana se passou desde que os médicos da Maternidade Ester Gomes (Mãe Pobre) em Itabuna resolveram entrar em greve. Os obstetras se queixam que estão sem receber salários há mais de nove meses. Ao Diário Bahia, o diretor do Sindiserv (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Itabuna e Região), Raimundo Santana, informou que solicitou a mediação do Conselho Municipal de Saúde para tentar resolver esse impasse.

Segundo ele, a maternidade alega que tem três meses de fatura a receber, fato contestado pelo município, que garante não dever nada à instituição. Com o atendimento suspenso, as gestantes são encaminhadas para o Hospital Novaes, que passa por um dos maiores "sufocos" dos últimos meses, por conta da superlotação.

O parente de uma paciente, submetida a uma cesariana esta semana, relatou ao Diário Bahia que a mulher recebeu alta um dia e meio depois do parto, quando, normalmente, são três dias para deixar o hospital em casos de cirurgias. De acordo com o familiar, que não quis ser identificado, a unidade se justificou, afirmando que está sendo obrigada a tomar essa iniciativa para liberar, de forma mais rápida, os leitos, tornando viável o internamento de outras mulheres.

São gestantes não só de Itabuna, mas de vários municípios da região. A cada plantão, dois médicos estão se revezando para atender a alta demanda. Uma gestante de 18 anos relatou que faltou até lençol na maca de consulta no dia em que procurou atendimento, na última terça (24). Alguns materiais estão cedidos pela Maternidade Ester Gomes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário