quarta-feira, 25 de maio de 2016

Greve do Samu já completa 15 dias e população pena com a paralisação

Das tês ambulâncias, apenas uma está saindo para atender a populaçãoCom os funcionários do Samu em greve há 15 dias, a população de Itabuna pena com a redução drástica do número de ambulâncias. Apenas um veículo, o Avançado, está disponível para atender o município nesse período de paralisação. Antes da greve, os motoristas costumavam sair em ocorrências uma média de 50 vezes por dia, segundo informou um dos grevistas ao Diário Bahia.

De acordo com ele, durante o movimento, ainda por tempo indeterminado, somente em casos considerados gravíssimos os motoristas abrem uma exceção e saem com a ambulância básica. Enquanto isso, parentes de muitas vítimas de acidentes domésticos, por exemplo, estão tendo que improvisar o socorro.

Uma mulher, que caiu enquanto ajudava o pai a limpar o tanque no bairro Novo Jaçanã, teve que ser transportada em cima de uma porta de madeira e num carro de passeio para o hospital de Base. O socorro foi prestado por vizinhos. O repórter Oziel Aragão, da Rádio Difusora, registrou o flagrante no momento em que Bárbara Pólvora chegava ao hospital, com fortes dores na coluna.

Por outro lado, os funcionários em greve reclamam que têm sofrido assédio moral por parte dos médicos socorristas. "Uma médica chegou a ameaçar um motorista da ambulância de suporte básico na última segunda-feira porque ele não saiu em uma ocorrência. Ela [a médica] disse que prestaria queixa contra o colega", relatou um servidor do Samu, que preferiu o anonimato. O Samu entrou em greve no mesmo dia em que os servidores municipais cruzaram os braços. Os funcionários do "192" resolveram aderir ao movimento em apoio dos trabalhadores do município.

Nenhum comentário:

Postar um comentário