quinta-feira, 5 de maio de 2016

São Caetano recebe primeira reunião do Programa de Governo Participativo

A primeira reunião para discussão do Plano de Governo Participativo (PGP), promovida pelo Partido dos Trabalhadores em Itabuna, será no bairro São Caetano, no próximo sábado (7). Realizada no espaço Nefertiti (avenida Manoel Chaves, em frente ao Itão), a plenária contemplará, além do São Caetano, moradores do Sarinha, Novo São Caetano, Carlos Silva, Jardim Primavera, Jaçanã, Santa Clara, Núcleo da Ceplac e Banco Raso.

O PGP é um modelo de construção coletiva do programa de governo que o partido vai protocolar na Justiça Eleitoral, e que deverá ser seguido pelo prefeito, caso eleito. Em Itabuna, o pré-candidato a prefeito do PT é o ex-deputado federal e ex-prefeito Geraldo Simões.

A primeira experiência do PGP foi na eleição do governador Rui Costa, em 2014, e foi tão bem sucedida que foi estendida aos diretórios municipais. “Em Itabuna, diante da situação em que o município se encontra, nada mais justo do que ouvir a população para que ela exponha seus anseios. O PT vai registrar as contribuições que coletar nessas plenárias como o documento norteador de uma eventual administração a partir de 2017”, explica o presidente do PT em Itabuna, Flávio Barreto.
A dinâmica, explica Barreto, será igual à utilizada na eleição para governador. “Os moradores serão divididos em grupos e cada grupo apresentará as sugestões do que considera necessário para sua comunidade. Ao final de cada plenária, todo material será sistematizado e apresentado aos participantes. Também está prevista a participação do pré-candidato Geraldo Simões, que fará um debate de conjuntura com os presentes”.

Flávio Barreto afirma que já está programada a próxima reunião do PGP Itabuna. Será no dia 14, no bairro Nossa Senhora da Conceição. “Ressaltamos a importância da participação de todos nesses eventos. Não é direcionado apenas aos nossos militantes nem mesmo aos possíveis eleitores do companheiro Geraldo Simões, mas é um exercício de cidadania mais do que nunca necessário, para que tenhamos, a partir de 2017, um governo popular e participativo, caso consigamos êxito na eleição, como sempre foram os governos petistas em Itabuna”.