segunda-feira, 6 de junho de 2016

Camelô é morto dentro de casa em Lauro de Freitas

Equipe de perícia do DPT não encontrou sinais de luta ou arrombamento na casa de Cinaldo - Foto: Luiz Tito | Ag. A TARDE
Um tiro no peito, pelo menos cinco cortes profundos nas costas e tantos outros espalhados pelo pé esquerdo e cabeça. Esses foram os ferimentos encontrados no corpo do camelô Cinaldo Santos de Jesus, 29, assassinado por volta das 13h deste domingo, 5, no quarto da casa onde morava, na Rua Maria Eunice, Loteamento Jardim Ipitanga, uma localidade de Itinga, em Lauro de Freitas (RMS).

Apesar das agressões, a equipe  de perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT)  não encontrou sinais de arrombamento ou luta no imóvel. Um facão sujo de sangue,  achado no local, foi levado pela perícia.

Uma pessoa contou, sob anonimato, que ouviu Cinaldo gritar que não era otário durante uma discussão no imóvel, pela manhã. Depois dessa briga, ele saiu da casa e voltou acompanhado. Instantes depois, foi assassinado. 

"Ele voltou acompanhado por mais de um homem. Foi quando aconteceu. Vi quando um rapaz caiu da escada [de acesso à casa] com uma arma na mão", contou uma pessoa. Outro relato dá conta de que a vítima estava acompanhada por apenas um homem.

Outra pessoa contou que, no  último dia 1º fez um mês que  Cinaldo alugou o imóvel. Ele morava sozinho e não tinha amizades. "Era do trabalho para casa".

Passagens por roubo
Segundo a polícia, Cinaldo tinha duas passagens por roubo, em 2006, e uma por furto, em 2007. Informações da Central de Polícias dão conta de que ele foi assassinado por um vizinho durante uma discussão. No entanto, essa versão não foi confirmada por nenhum morador ou equipe de polícia.  
Equipes do Serviço de Investigação de Local de Crime (Silc) da Região Metropolitana de Salvador, da 27ª Delegacia (Itinga) e da 81ª CIPM (Itinga) estiveram no local.  A autoria e motivação do assassinato ainda são desconhecidas da polícia. O crime será investigado pela 27ª DT.

"Ele disse que era uma pessoa doente e que se mudou de Pernambués para esse bairro para se recuperar de uma gastrite, (porque) não podia tomar poeira. Ele era na dele. Ninguém tinha contato com ele", contou uma morador do bairro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário