quinta-feira, 2 de junho de 2016

Distribuição de remédios era ampla, eficaz e eficiente, afirma Geraldo

O pré-candidato a prefeito de Itabuna, Geraldo Simões (PT), está preocupado com a falta de remédios para a população nos postos de saúde. Ele faz um comparativo do programa de distribuição de medicamentos efetivado em sua gestão de 2001 a 2004 com a situação atual, e afirma que em seu governo a distribuição era ampla, eficaz e eficiente.

“Atendíamos a toda a população. Quem utilizava as 30 unidades básicas de saúde já saía da consulta com o medicamento prescrito em mãos. Nas UBS eram distribuídos 70 tipos de medicamentos. Ainda implantamos a Farmácia Popular, com 104 itens”, lembra Geraldo.

Geraldo diz que a unidade de Itabuna da Farmácia Popular virou referência nacional, e foi transformada em modelo pela Fundação Osvaldo Cruz. Além da atenção básica, a assistência farmacêutica atendia a média complexidade (Ceprom, Projeto Casulo, CAPS, Asdita e Policlínica), e a alta complexidade.

“Itabuna precisa retomar seu programa de assistência farmacêutica. Para isso, todos os postos de saúde devem estar equipados com suas farmácias básicas bem abastecidas, para que todos que necessitem possam ser atendidos. Isso é amplitude, eficácia e eficiência no atendimento, princípios que todo gestor público deve observar”.