sexta-feira, 8 de julho de 2016

Augusto se reúne com moradores do Santo Antônio e critica abandono do bairro

Em reunião com moradores do Bairro Santo Antônio, o pré-candidato a prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSDB), comentou sobre a situação de abandono dos bairros da cidade e reafirmou seu compromisso de realizar uma gestão eficiente. Augusto disse que Itabuna enfrenta uma crise generalizada, que atinge setores como educação, infraestrutura e segurança, e voltou a declarar que o município precisa de um prefeito que “seja presente e chame pra si a responsabilidade”.

“Não vimos melhorias na cidade durante os últimos quatro anos e o que temos são reivindicações antigas, que nunca tiveram a devida atenção. Quem sofre com isso é o povo itabunense, que está descrente, cansado de promessas que nunca foram cumpridas. Precisamos trabalhar para tirar Itabuna dessa triste realidade,” afirmou Augusto, que estava acompanhado pelo pré-candidato a vereador Marcos Alpoim (PSDB).

No encontro, foram discutidas as principais demandas do bairro, a exemplo do funcionamento precário da unidade básica de saúde Roberto Santos e da falta de saneamento. A maior reivindicação dos moradores é a limpeza periódica do canal que corta o bairro, que está tomado pelo mato e se tornou foco de animais peçonhentos e doenças.

Augusto disse que o descaso com o canal do Santo Antônio, assim como outros existentes na cidade, é inadmissível. “A falta dessa limpeza resulta em doenças e perda de qualidade de vida para os moradores, por isso nós nos comprometemos em mudar esse quadro de abandono”, declarou. Na opinião do professor Ernesto Pires, que mora na rua por onde passa o canal, “Augusto mostra disposição para trabalhar e é capaz de mudar o cenário da nossa cidade”.

Ainda nessa fase de pré-campanha, Augusto tem participado de reuniões com lideranças comunitárias e pré-candidatos a vereador em diferentes bairros de Itabuna, com o objetivo de verificar de perto seus problemas, ouvir sugestões de moradores e discutir caminhos para as melhorias necessárias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário