terça-feira, 19 de julho de 2016

Empreiteira recupera provas de propina e insiste em fazer delação

A maior empreiteira do país, a Odebrecht, investe na tentativa de fechar o acordo de delação premiada de seus executivos, entre eles o ex-presidente Marcelo Odebrecht, com o Ministério Público Federal.

No entanto, a reportagem do jornal O Globo destaca que a assinatura do acordo depende que a Odebrecht recupere e apresente arquivos digitais da empresa que comprovem o pagamento de propina a políticos e autoridades.

A empreiteira disse que está recuperando os arquivos digitais que comprovam pagamento de propina. As investigações haviam achado que os dados do Setor de Operações Estruturadas haviam sido apagados dos computadores pela Odebrecht no ano passado, após a prisão de Marcelo Odebrecht.

Porém, o técnico de informática Camilo Gornati, responsável pela manutenção do programa de controle de pagamentos de propina, contou que há um servidor reserva na Suíça onde estão armazenados todos os detalhes de transações ilícitas. O sistema funcionou ativamente até o fim de maio de 2016.

A publicação destaca que a recuperação dos documentos contábeis e da movimentação financeira do Setor de Operações Estruturadas é muito relevante para que seja firmado o acordo de delação.


As possíveis delações dos executivos da Odebrecht são consideradas as mais explosivas da Lava Jato. Nas últimas duas semanas, os investigadores da Lava Jato aceitaram os anexos (com os assuntos a serem delatados) apresentados pela Odebrecht. Ou seja, a Operação já tem conhecimento sobre os crimes e os criminosos que podem ser revelados pelos funcionários da empreiteira.

No entanto, como informou a Folha de S. Paulo, os procuradores não devem aceitar firmar acordo de delação sem as provas concretas sobre as novas denúncias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário