quinta-feira, 28 de julho de 2016

Itabuna ganha 33 novos filhos e homenageia nativos

Títulos de cidadania e medalhas ao mérito foram entregues na solenidade que comemorou os 106 anos da cidade
Nesta terça (26), o Legislativo de Itabuna oficializou, em Sessão Solene na AABB, o ato pelo qual 33 pessoas tornaram-se legalmente cidadãos itabunenses. Cerca de 500 pessoas participaram da solenidade que comemorou os 106 anos de Itabuna. Na abertura, a Mesa Diretora salientou que Itabuna é uma cidade plural desde o princípio por ter sido fundada por migrantes vindos de várias regiões do país.

Os novos itabunenses, além de terem escolhido viver na cidade, contribuem para o desenvolvimento grapiúna. A pediatra soteropolitana Zina Macedo que com meio século de profissão já dedica 36 anos a Itabuna. “Os meus clientes hoje são filhos dos meus clientes pequenininhos, que nasceram comigo. Uma geração de crianças itabunenses passou por minhas mãos”, relata contente a médica.
Cada projeto de lei do título de cidadania é acompanhado da biografia dos homenageados. Muitos marcados pela superação como o sapateiro Valmir de Souza, que migrou para Itabuna por conta da seca; e pela persistência como Antônio Henrique da Silva, de cobrador de ônibus a juiz de Direito. “O julgador é resultado da sua trajetória. A vivência social permite ter uma visão mais próxima da realidade do povo”, relatou o magistrado que veio de Aracaju para Itabuna.

Além de cidadania, a Câmara de Itabuna outorgou honra ao mérito a sete nativos. A honraria é o reconhecimento aos que nasceram em Itabuna e prestam serviços relevantes ao município. Em nome dos 40 homenageados, a advogada Jurema Cintra agradeceu ao Legislativo e elogiou a democracia. “A população de Itabuna pensa de forma plural, participa, se manifesta. Vejo como um avanço” frisou.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário