terça-feira, 26 de julho de 2016

Ministro nega existência de segundo grupo suspeito de terrorismo no Brasil

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, negou na segunda-feira (25) que a Polícia Federal (PF) esteja investigando a existência de um outro grupo que planeje atos terroristas durante a Olimpíada do Rio de Janeiro. “Não há segundo grupo, não há nada premente. Não há nenhum grupo, nenhuma pessoa, até o momento, obviamente, que tenha, assim como o grupo anterior, atos de planejamento efetivo”, disse o ministro em Brasília.

Segundo Moraes, o grupo preso na semana passada, e que teve o 12º membro detido ontem (24), foi o único descoberto pelas forças de inteligência. Fora isso, de acordo com o ministro, o governo monitora pessoas que acessam sites ligados ao tema.

“Nós temos, na verdade, uma centena de pessoas que são monitoradas, mas sem nenhum indício de ato preparatório. Alguém que entra em algum site que faz apologia ao terrorismo, ela passa a ter atenção especial das forças de segurança. Não significa que ela esteja pensando alguma coisa. Ela pode ter ido [no site] por trabalho, ter tido curiosidade, mas isso sempre é monitorado.”

Moraes participou nesta segunda-feira da vistoria final do esquema de segurança em aeroportos antes do início dos Jogos Olímpicos. No Aeroporto de Brasília, o ministro conversou com agentes da PF que trabalham na vistoria dos estrangeiros que desembarcam no Brasil. Os policiais mostraram equipamentos de raio-x e outros aparelhos utilizados para controlar a entrada no país pela capital.

“Vamos inaugurar para a Olimpíada um software desenvolvido pela PF com um banco de dados da Interpol [Organização Internacional da Polícia Criminal], para que seja checada qualquer pessoa que tiver qualquer problema [com a entidade”, disse o ministro. O programa compara a impressão digital do passageiro com o banco de dados da Interpol para saber se há algum registro contra o viajante. Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário