terça-feira, 2 de agosto de 2016

Amante do empresário Dorian, da Telexfree, é presa 13 dias após o crime

A jovem Daiane de Oliveira Dias, 20 anos, acusada de participar do assassinato do empresário Dorian da Silva Santos, 29, o Dorian da Telexfree, foi presa na manhã desta segunda-feira (1º), em Feira de Santana. Ela havia sido detida pela primeira vez no último dia 21 de julho, dois dias depois do crime, mas foi liberada porque não havia mandado de prisão contra ela.

Segundo o titular da Delegacia de Homicídios de Feira de Santana, Gustavo Coutinho, Daiane se apresentou espontaneamente na unidade acompanhada de dois advogados. "O mandado de prisão preventiva dela e dos dois comparsas foram emitidos na última quinta-feira à tarde. Na manhã de sexta-feira, um dos advogados dela entrou em contato e informou que ela iria se apresentar nesta segunda", afirmou o delegado.

Os advogados de Daiane também são os defensores de Davi Rios de Oliveira, o Davi Gordo, 21, e Joanderson Menezes Lima, 24, apontados pela polícia como comparsas da mulher. Eles foram presos no dia 20 de julho, um dia depois do crime, e estão custodiados no Conjunto Penal de Feira de Santana.

Quando foram presos, os dois homens acusaram Daiane de ser a mandante do crime, mas a polícia descartou essa informação. "Fizemos uma acareação entre eles. Está claro que foi uma ação conjunta. Eles planejaram e executaram tudo, juntos. Não havia um mandante", afirmou o delegado. 

Depois da prisão, Daiane foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana para fazer exames de corpo de delito e seguiu para o Conjunto Penal da cidade.

Segundo a polícia, os três acusados confessaram o crime. Disseram em depoimento que mataram o empresário para poder ficar com o carro que haviam roubado da vítima. Por isso, vão responder por latrocínio (roubo seguido de morte).

Crime 

A polícia descobriu que Dorian e Daiane mantinham um relacionamento amoroso desde que a jovem tinha 15 anos. A mulher é natural de Salvador, mas os pais dela moram no povoado de Cabaceiras, no município de Serra Preta, mesma cidade em que Dorian vivia. 

No sábado (16), Daiane conheceu Davi Gordo, um traficante de Feira de Santana. "Durante o encontro, ela contou que mantinha um relacionamento com um empresário, um homem que tinha dinheiro. Foi então que surgiu a ideia de forjar um assalto, para ficarem com o carro e o dinheiro da vítima", contou o delegado, na época.

Um dia antes do assassinato, Daiane e Davi Gordo se encontraram novamente para articular o crime. Por volta das 15h de terça-feira, ela ligou para Dorian e disse que queria encontrá-lo. No momento da ligação, a vítima estava com um amigo na Avenida João Durval. 

O encontro foi marcado no antigo posto da Polícia Rodoviária Federal. O empresário encontrou com Daiane e o casal ficou junto. Quando ele estava deixando a casa, foi surpreendido por Davi Gordo e Joanderson que anunciaram o assalto. Segundo a polícia, Dorian reagiu a abordagem, mas foi dominado pelos bandidos. Ele e a mulher foram amarrados pelos criminosos, mas a vítima percebeu a armação. 

"O Dorian olhou atravessado para a mulher e disse: 'Foi você quem armou tudo isso, eu sei'. Foi aí que eles ficaram com medo de a vítima procurar a polícia e resolveram matar o empresário", afirmou Coutinho.

Trajeto para a morte

O grupo seguiu na Hilux pela BR-324, com a vítima amarrada no baco traseiro do veículo. Para não serem rastreados pelo aparelho celular do empresário, os suspeitos lançaram o iPhone pela janela do carro enquanto fugiam. Depois pegaram a BR-101 e foram até o povoado de Caetano, no distrito de Humildes, em Feira de Santana, onde mataram Dorian.

Segundo a polícia, foi Joanderson quem atirou no empresário. Foram seis disparos, todos na boca, com um revólver calibre 32. Os dois suspeitos presos vão responder por latrocínio, no caso do empresário, e por roubo, no caso do celular roubado na quarta-feira. (Correio 24h)

Nenhum comentário:

Postar um comentário