sábado, 6 de agosto de 2016

Cartaz proíbe captura de pokémons em sala de audiência de fórum em Salvador

Um cartaz foi colocado em uma das salas da 2ª Vara do Sistema do Juizado Especial do Fórum Regional do Imbuí, em Salvador, proibindo as pessoas de jogar Pokémon Go no local. De acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), o aviso foi colocado na manhã desta sexta-feira (5) por uma servidora, mas foi retirado minutos depois.

Conforme o órgão, o aviso foi retirado porque a servidora não teve autorização para colocar o cartaz no local e também não houve conhecimento prévio da direção do fórum e da Coordenadoria dos Juizados Especiais. O TJ-BA não informou se a entrada de jogadores do Pokémon Go nas repartições da Justiça é liberada e nem o motivo que levou a funcionária a colocar o aviso no local.

TRE

Por meio das redes sociais, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) alertou que a caça de pokémon nas zonas de votação durante as eleições 2016 é proibida. A campanha para alertar o eleitor foi iniciada na quinta-feira (4).


Conforme o TRE-BA, o alerta está relacionado ao fato de que o uso de celulares é proibido nas cabines de votação. "Já temos o Pokémon Go, mas é aquele ditado: não se pode ter tudo. Na hora de votar, é proibido o uso de celular. Combinado?", diz post publicado em uma nas redes sociais.

Além do aviso, um banner foi compartilhado com o seguinte recado: "TRE-BA informa: é proibido capturar pokémons no local de votação". O Alerta foi feito com base a Lei 9.504/97, artigo 91, que proíbe o uso de celulares nas zonas eleitorais.

Alerta da polícia

Na quarta-feira (4), uma outra postagem publicada nas redes sociais da 77ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, alertou ao risco de ocorrências como assaltos aos usuários do aplicativo Pókemon Go, que chegou ao Brasil na quarta-feira (3).

O aviso, que conta com mais de 1000 compartilhamentos no Facebook, ensina precauções no uso do jogo de realidade aumentada, onde o gamer anda pela cidade para capturar pokémons e obter acessórios.

A ideia foi da responsável pela comunicação social da companhia, a soldado Deyse Bastos. "Hoje o roubo de celular é campeão em ocorrência em todo o país. A gente teve essa ideia porque viu que seria uma febre, como em outros países, já para evitar que exista ocorrências", explica a PM.

Ela diz que já observou jovens brincando com o aplicativo no celular pela cidade. "Andando no centro da cidade, já observamos e, só a título de orientação, dizemos [aos jogadores] para ter cuidado", afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário