quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Cidade baiana registra tremor de terra; já foram 28 na Bahia este ano

Um tremor de terra de pequena magnitude foi registrado no município de Itanhém, no Extremo Sul da Bahia. O tremor foi sentido por volta das 21h45 de quarta-feira (10) e durou apenas alguns segundos.

O Observatório Sismológico do Instituto de Geociências da Universidade de Brasilia (Obsis) registrou o tremor de magnitude 2,7. O Obsis monitora e registra abalos por meio de sismógrafos instalados em vários pontos do país. Na Bahia, apenas no ano de 2016, já foram registrados 28 pequenos terremotos. O maior deles aconteceu no mês de janeiro, no município de Itaju do Colônia, e teve magnitude de 3,2.

No território brasileiro há pequenas falhas geológicas. E são essas falhas que, geralmente, acarretam nos pequenos tremores sentidos no país. "O normal é que esses tremores pequenos sejam causados por efeito de acomodação das falhas geológicas", explica o professor George Sand, do Obsis. Apesar dessas falhas moverem-se apenas pequenos milímetros, é suficiente para causar esses pequenos abalos. 

De acordo com moradores de Itanhém, o tremor foi sentido em uma região que fica próxima a cidade. A delegacia do município não registrou desabamentos ou feridos por causa do tremor de terra.

O professor Sand afirma que não é possível determinar as causas específicas de cada tremor que acontece no país. "Única forma de saber com todos os detalhes o que causa cada tremor é colocando uma equipe de pesquisa apenas para investigar isso. E é um mecanismo muito caro. Como temos apenas pequenos tremores no país, então não compensa o investimento", esclarece Sand. 

Conforme Sand, os brasileiros não tem costume com esse pequenos abalos e sempre se assustam quando o sentem, mas que é um fenômeno "geologicamente comum de acontecer". No Brasil, por exemplo, os dois maiores tremores de terra registrado aconteceram em Porto dos Gaúchos (MT), com magnitude de 6,2, e em Vitória (ES), com 6,1. Ambos os terremotos aconteceram em 1955. (Correio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário