sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Ciganos são presos; polícia apura relação com morte de gêmeos


Cinco ciganos foram presos nesta sexta-feira (19), em Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, em uma operação das Polícias Civil e Militar. Eles estavam com armamento pesado, uma alta quantia em dinheiro e bastante munição.

Segundo a polícia, os ciganos presos foram autuados por porte ilegal de armas e será investigado se eles têm participação nas mortes dos gêmeos Silvio Cezar Carvalho Santos e Cezar Silvio Carvalho Santos, de 45 anos. O crime ocorreu na quarta-feira (17), em Salvador, e pode ter sido cometido por vingança ao assassinato de um cigano ocorrido em 2014.

Conforme a polícia, os cinco homens presos foram conduzidos para a sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde prestaram depoimento. As armas foram encaminhadas para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde passarão por perícia que deve apontar se alguma delas foi usada para matar os gêmeos.

Segundo a polícia, os suspeitos fazem parte de um grupo de ciganos que atua na região de Simões Filho como agiotas. Conforme a polícia, os suspeitos têm entre 29 e 62 anos. Com os ciganos, foram apreendidas 12 armas, algumas de uso exclusivamente militar, dentre elas rifles, pistolas, revólveres, escopeta, pistola Glock, além de facões, muita munição e uma lista com o nome de pessoas que teriam dívidas de empréstimo com o grupo.

Ao G1, o advogado do ciganos presos, Abdon Abade, disse que as armas encontradas com os clientes dele são para uso pessoal. Ele informou ainda que os presos têm o hábito de andar com altas quantias em dinheiro porque não confiam em instituições bancárias.

Crime

Os gêmeos Silvio Cezar Carvalho Santos e Cezar Silvio Carvalho Santos foram mortos a tiros na localidade conhecida como Baixa do Tubo, em Cosme de Farias, em Salvador, na quarta-feira (17). Eles foram enterrados no Cemitério Municipal de Itapuã, na capital na quinta-feira (18).

Uma das vítimas, Silvio Cezar, que era advogado, tinha um escritório no local onde o crime aconteceu. O irmão dele, Cezar Silvio, era cinegrafista. Conforme as informações iniciais da polícia, dois homens chegaram no local e um deles chamou por Silvio. Quando ele apareceu, foi baleado. A vítima morreu no local.

Ao ouvir os disparos, Cezar tentou dar socorro ao irmão, mas acabou baleado. Ele chegou a ser socorrido por vizinhos para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas já chegou à unidade de saúde sem sinais vitais. G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário