terça-feira, 9 de agosto de 2016

Padrasto de estudante da Ufba morto em Mussurunga será ouvido hoje

Estudante de Matemática na Universidade Federal da Bahia (Ufba), Valdomiro de Lima Santos Filho, 21 anos, tinha trancado o curso porque não estava conseguindo conciliar os estudos com o trabalho em um posto de gasolina na BR-324. Por conta dos atrasos constantes às aulas, ele decidiu interromper a graduação, para juntar dinheiro e comprar um carro. Assim, poderia conciliar as duas atividades.

Os sonhos, no entanto, foram interrompidos. O estudante foi encontrado esfaqueado na casa onde ele morava sozinho, em Mussurunga II, na noite do último sábado (6). O enterro foi realizado ontem, no Bosque da Paz, em meio a um clima de tensão na família.

O acusado da morte é o cunhado da vítima, o biscateiro Carlos Henrique Lima Machado, 21, que, segundo a polícia, contou com a ajuda do irmão, o ambulante Alexandre Lima Jordão da Silva, 18. Os dois foram presos. Uma aliança e uma sandália deixadas no local do crime levaram a polícia até eles. Os dois foram vistos por testemunhas quando fugiam da casa de Valdomiro.

Em depoimento à delegada Mariana Ouais, titular da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), Carlos Henrique disse que Valdomiro lhe pagou R$ 3 mil, no início de junho, para que ele matasse seu padrasto, o rodoviário Jorge de Jesus Damasceno, 39. Carlos gastou o dinheiro, mas não cumpriu sua parte no acordo, passando a ser ameaçado por Valdomiro, que exigia a morte de Jorge até ontem.

“Ele disse que Valdomiro tinha raiva do padrasto, mas não declinou o porquê da vítima ter encomendado a morte. É o motivo que ele alegou, mas a investigação ainda continua, porque não tem nenhuma confirmação dessa história. Os familiares serão ouvidos hoje, inclusive o padrasto”, informou a delegada Ouais.

A família nega essa versão. Segundo eles, Carlos matou o estudante para roubar o dinheiro da vítima. Tio de Valdomiro, o garçom Antônio Araújo Conceição, 49, disse que o cunhado estava em um bar bebendo com o irmão e, depois, foram para a casa de Valdomiro, achando que estava vazia, já que o estudante tinha dito que ia para um show. Parentes contam ainda que Carlos Henrique já tinha roubado R$ 1.700 de Valdomiro antes e teria aproveitado a oportunidade para pegar mais dinheiro.

Ao chegar ao local, o cunhado encontrou Valdomiro dormindo. Dentro do imóvel, a dupla aproveitou uma distração da vítima e, com uma faca conseguida na cozinha, um deles desferiu um golpe no pescoço de Valdomiro.

Os três entraram em luta corporal e Valdomiro foi dominado novamente, sendo esfaqueado no peito e no pescoço. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Carlos Henrique foi ferido na perna durante a luta e procurou atendimento médico no Hospital do Subúrbio (HS), onde foi preso, no último domingo, alegando ter sido vítima de um assalto.



A versão dada por Carlos à polícia é também contada pela irmã da vítima e namorada do autor, Fernanda Santos. Durante o sepultamento ontem, ela foi hostilizada pela família e saiu às pressas do cemitério. Segundo informações de pessoas presentes ao enterro, ela teria entregue a chave da casa de Valdomiro para que Carlos Henrique roubasse dinheiro do irmão, pela segunda vez. “Ainda teve a coragem de vir ao enterro”, afirmou outra mulher. 

O irmão do padrasto, Raimundo de Jesus Damasceno, tentou defender Fernanda, mas também foi hostilizado e precisou ser retirado do local, para dispersar a confusão.

Colegas de trabalho de Valdomiro lamentaram a morte. “Um rapaz sem vícios, não demonstrava nenhuma agressividade, muito estudioso e amigo”, comentou o frentista Pedro Henrique Costa, 27. “Ele estava juntando dinheiro para comprar um carro e poder voltar a estudar. Ele trancou a matrícula porque (indo para faculdade) de ônibus sempre chegava tarde na aula”, contou o primo de Valdomiro, Geovane Rodrigues Nascimento, 30. Correio24h

Nenhum comentário:

Postar um comentário