terça-feira, 30 de agosto de 2016

Quatro de Espadas é suspeito de mortes em Camaçari no fim de semana

Com mandado de prisão em aberto e integrante da lista dos bandidos mais procurados do Estado, Bruno de Oliveira Santos, o 'Quatro de Espadas' do Baralho do Crime, é apontado como autor das ações criminosas que resultaram na morte de quatro adolescentes em Camaçari, na RMS (região metropolitana de Salvador), e mandante dos demais homicídios ocorridos no bairro, no fim de semana.

Segundo a Polícia Civil, ele pertence à quadrilha de Marivan Elias da Silva, um dos líderes do tráfico no bairro de Nova Vitória, e que também faz parte do baralho, ocupando a carta 'Seis de Copas'.

De acordo com as investigações, os assassinatos foram provocados pela busca do domínio completo do tráfico de drogas em Nova Vitória, por parte da quadrilha de Marivan. A disputa ficou acirrada após a prisão, no início do mês, de Claudomiro Santos Rocha Filho, o “Nicão”, parceiro de Raimundo Borges dos Reis, o “Capenga”, líderes do bando rival ao de Marivan e que também comercializa entorpecentes na região.

A polícia acredita que, com o enfraquecimento do grupo de Nicão e Capenga, Marivan pretendia assumir a totalidade do tráfico de drogas na área. Nicão foi preso no apartamento da advogada, num condomínio de luxo na avenida Paralela. Segundo a titular da Delegacia Territorial de Camaçari, delegada Maria Tereza Santos Silva, além do quádruplo homicídio registrado, as demais cinco mortes também têm relações com o tráfico de drogas.

As vítimas, Anderson de Almeida dos Santos, 26 anos, Josilândia de Jesus Santos, 22 anos, Elielton da Paixão Gomes, 19 anos, e o adolescente Ivys Roberto Santos de Jesus, 16 anos, tinham passagem pela polícia por tráfico de drogas. Luan Algel de Souza Santos, 26 anos, tinha passagens por furto. Ele tinha tatuado no corpo os dizeres “matador de polícia” e “BDM”.

O policiamento ostensivo foi ampliado no fim de semana e permanece com a presença do Batalhão de Choque e da Companhia Independente de Policiamento Especializado/Polo. Equipes dos Departamentos de Homicídios e Proteção à Pessoa e de Repressão ao Crime Organizado também estão no local, com aproximadamente 200 policiais. R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário