segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Secretário de segurança pública cobra política nacional para combater crime

Eleito no último dia 1º ao cargo de presidente do Conselho de Segurança Pública do Nordeste (Consene) – o mandato dura, em média, dois anos –, o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, disse que uma das principais reivindicações dos colegas nordestinos é a maior participação do governo federal no financiamento da segurança pública. 

Segundo ele, há três anos, a Bahia não recebe verba destinada à segurança. “O que a gente tem hoje é a segurança pública sendo custeada pelos estados. A participação do governo federal no grosso é ínfima”. Para o governador Rui Costa, é preciso que a União combata o problema da segurança pública “no atacado”. 

“Infelizmente, os estados estão cuidando no varejo da violência, e o governo federal poderia e pode cuidar no atacado. O Brasil não fabrica fuzil, metralhadora, essas pistolas. Então, como é que esse armamento tá chegando no Brasil? Os estados não têm condições de combater isso”, diz Rui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário