segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Bancário nega envolvimento em esquema que gerou mais de R$ 3,5 milhões a Caixa de Itabuna e Ilhéus

Resultado de imagemO bancário Gerson Bernardo Alves dos Santos, ex-gerente da área de pessoa jurídica de agências da Caixa Econômica de Itabuna e Ilhéus, negou ter agido como cúmplice em um esquema que gerou prejuízos de mais de R$ 3,5 milhões à Caixa, em 2013. Nesta época, Gerson, que passou por processo administrativo disciplinar (PAD), após ser apontado como suspeito de burlar regras do banco, com o intuito de beneficiar Paulo Henrico dos Santos, o “Kiko”. O esquema teria envolvido, ainda, 17 empresas de fachada, abertas por Kiko ou familiares dele, entre os quais mãe e ex-esposas.

Segundo o Ministério Público Federal, o processo disciplinar concluiu que, realmente, houve fraude e irregularidade nos empréstimos. Chegou-se também à conclusão que Gerson teria, de fato, culpa no que o levou ao processo administrativo.

Ao Blog Verdinho Itabuna, Gerson Bernardo, hoje morando e trabalhando em São Paulo, contou que foi inocentado pelo PAD da acusação de dolo. Segundo ele, o banco o puniu apenas com uma suspensão de oito meses. Gerson disse que voltou ao trabalho em maio de 2014, conseguindo, inclusive, uma promoção em julho deste ano, fato que comprovaria seu compromisso e honestidade.

Ainda conforme o bancário, seus advogados contestaram o processo, pedindo a anulação na Justiça do Trabalho.Gerson afirmou que não chegou a receber nenhuma notificação, muito menos teve acesso aos autos da denúncia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário