sábado, 8 de outubro de 2016

De servente de pedreiro a vereador

zicoPor Celina Santos/Diario Bahia.


– Lá vai o presidente da Associação de Moradores do Fonseca! Ele é o servente de pedreiro Zico!

– Toca pra Emasa, não é atendido! Toca pra Prefeitura, pra pedir asfaltamento de ruas.

– Volta pra desentupir os esgotos e limpar os quintais da vizinhança…

– Toca pra eleição… ele teve o nome confirmado por 808 pessoas e … Eleito!

Assim poderia ser narrada a trajetória de Gidevaldo Lauro Santos, de 46 anos, um dos novos vereadores de Itabuna, eleito pelo PTC. Apelidado como Zico desde a infância, ele não tem dúvida de que a vitória foi um “gol de placa”. “Foi, foi! Foi bênção de Deus, menina!”, observou, em entrevista ao Diário Bahia.

O novo edil vive no Fonseca desde os quatro anos de idade, fez amizades pelas imediações e está no segundo mandato como presidente da associação. Desde então, fez crescer sua popularidade, pela capacidade de mobilização para resolver os problemas que afligiam a comunidade daquele bairro, assim como do Loteamento Gégeu e Carlos Silva.

“Quando precisava de asfalto, eu pegava 10, 15 pessoas e levava pra prefeitura. Chegava no gabinete e dizia: Vane, só saio daqui [com o problema resolvido]”, lembrou, sobre o trabalho que resultou no asfaltamento de quatro ruas e 250 metros de esgoto. Quando havia entupimento de canos e a empresa responsável não ia corrigir em tempo hábil, Zico se encarregava de “arregaçar as mangas”. “A Emasa não vinha e eu metia a mão; alguns até falavam que eu ia ficar doente”, contou.

Desempregado, o servente conta apenas com os R$ 50,00 que a esposa consegue a cada faxina. O casal perdeu um filho, que foi assassinado, tem uma filha e uma neta. Eles moram de aluguel, mas a casa própria não é o primeiro sonho que Zico deseja realizar. Uma vez empossado vereador, o sempre disposto homem quer atuar pela coletividade. “Meu sonho é cuidar melhor da minha família e depois pedir ajuda a Deus pra asfaltar ruas do bairro”, afirmou.

Zico, tido pelos amigos como “bom de bola”, até hoje curte um futebol. Ele nasceu em São João do Panelinha, estudou até a 5ª série e perdeu o pai aos 3 anos de idade. Como se pode perceber na breve conversa que tivemos, a saudosa mãe, falecida há 20 anos, transmitiu a ele e aos seus sete irmãos os valores mais importantes que um cidadão deve ter.



Condições dos concorrentes

Perguntado sobre quem o incentivou a ser vereador, o craque itabunense lembra do quão reconhecido foi o trabalho dele como presidente de bairro. Na campanha, confessa que enfrentou concorrentes em condições de oferecer, digamos, recompensas aos eleitores daquele entorno.

“Domingo os caras invadiram lá pra comprar voto; e ainda compraram alguns”, recordou. Para sorte dele e pelo desenho da Câmara recém-eleita, parece que tais práticas já não levam aos mesmos resultados de tempos passados, não é?

Nenhum comentário:

Postar um comentário