terça-feira, 8 de novembro de 2016

Protesto dos policiais civis teve grande apoio popular


Cerca de 50 agentes, escrivães e investigadores da Policia Civil da região se reuniram neste sábado, 5, em frente a Catedral de São Sebastião, no Centro de Ilhéus em manifestação pelo sucateamento da instituição no estado da Bahia. 

O ato, promovido pelo Sindicato dos Policiais Civis da Bahia – SindPoc contou com o apoio dos transeuntes que passavam pelo local e seguiu pelas principais ruas de Ilhéus com forte participação e apoio popular.
Dados da Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, apontam que a Bahia é o Estado brasileiro que registrou o maior número de assassinatos, em números absolutos, em 2014 (5.450) e 2015 (6.338). Somente em Ilhéus e Itabuna, foram assassinadas 193 pessoas no último ano. O crime organizado, tráfico e ineficiência da Polícia são as principais causas apontadas dos homicídios.

O Vice Presidente do Sindpoc Eustácio Lopes salientou que o objetivo principal da manifestação foi chamar atenção das autoridades para a falência do Programa Pacto pela Vida e o sucateamento da Policia Civil no estado da Bahia. “160 municípios encontram-se sem servidores, sem viaturas. Falta combustível, computador, internet e até mesmo cartucho de impressora”, denuncia. 
Eustácio explica, ainda, que o roubo de veículos, celulares, explosões a caixas eletrônicos, assaltos a coletivos e taxistas tem sido constantes e estão completamente fora de controle. “Estamos sem efetivo, e não conseguimos elucidar nem 20% dos crimes”, desabafa.

O protesto das cruzes, como foi batizado o ato, terminou na Praça Cairu, no centro de Ilhéus, um dos cartões postais da cidade, onde os policias fincaram diversas cruzes na grama, simbolizando os assassinatos na Bahia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário