segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Suspense em Itabuna

Do Pimenta.Blog 
A pouco mais de um mês para as posses dos novos prefeitos, vices e vereadores eleitos em outubro, Itabuna ainda não sabe se o candidato mais votado para comandar o município, Fernando Gomes (DEM), assumirá o cargo ou haverá nova eleição. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) começou a votar o recurso do democrata na quinta (24), quando o julgamento foi suspenso por um pedido de vista do juiz Marcelo Ayres. Fernando teve pedido de registro indeferido em primeira instância por causa da Lei da Ficha Limpa.

O julgamento no tribunal deve ser retomado nesta semana. O placar está 1 a 1. O relator, Fábio Alexsandro Bastos, votou pelo deferimento de registro de candidatura de Fernando. Já o juiz federal Paulo Pimenta seguiu caminho contrário ao abrir divergência. Diante da dúvida estabelecida por Pimenta, Marcelo pediu vista.

Dos mais de 100 mil votos atribuídos aos candidatos a prefeito em Itabuna no último 2 de outubro, Fernando amealhou 32,4%. Para que o democrata tome posse na data regular, 1º de janeiro de 2017, ele precisa, ao menos, ter o registro deferido no TRE antes do dia 19 de dezembro, prazo máximo para diplomação dos eleitos.

VEREADORES ELEITOS DE OLHO NO EXECUTIVO

Caso não consiga o julgamento no prazo, assumirá o comando do município, temporariamente, o novo presidente da Câmara de Vereadores, que será escolhido por meio de votação no dia 1º de janeiro. Hoje, os nomes considerados mais fortes na disputa são os de Ricardo Xavier (PPS), Cavalcanti (PMDB), Beto Dourado (PSDB) e Aldenes Meira (PCdoB). A briga não é somente pela presidência da Casa, mas pela vice, também.

Se o candidato democrata tiver a candidatura indeferida pelo TRE-BA, hipótese hoje tida como improvável, poderá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília – o que significa dizer que a peleja seria decidida somente em 2017. No ninho fernandista, a aposta é de vitória em Salvador, por 5 a 1 ou 4 a 2. No máximo, 4 a 3.

Na última quinta (24), o tribunal negou pedido do PDT para que o partido e o seu candidato a prefeito em Itabuna, Antônio Mangabeira, ingressasse no processo como parte interessada. Não há possibilidade, até aqui, de Mangabeira assumir o poder em caso de derrota de Fernando.

SANGUESSUGAS

A favor do mais votado na disputa de 2 de outubro, o fato de ter obtido efeitos suspensivos para todos os seus processos. Apenas um, que diz respeito à compra de ambulância superfaturada (Máfia dos Sanguessugas), não foi julgamento pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Ainda na quarta (23), o especialista em Direito Eleitoral Alah Góes disse que se não há julgamento do caso no TCU, Fernando não estaria inelegível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário