quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Para dar à luz gêmeos, jovem com morte cerebral é mantida viva por cinco meses

Mesmo depois da morte cerebral, os médicos do Hospital Nossa Senhora do Rocio, de Curitiba, e a família Frankielen da Silva Zampoli, de 21 anos, de decidiram mantê-la viva para salvar dois bebês.

Frankielen teve uma hemorragia grave no cérebro quando estava no segundo mês de gestação e, três dias depois, os médicos constataram a morte cerebral. Os bebês foram mantidos até os sete meses de gravidez e nasceram com a saúde compatível com a de prematuros dessa idade.

 "A gente nunca se prepara para perder um filho. A dor de perder um filho é muito grande. Para uma mãe, é a pior dor. Ela foi guerreira até depois da morte, conseguiu dar vida aos filhos dela. Vê-los, agora, é lindo", diz a mãe de Frankielen, Ângela Silva. 

Ana Vitória nasceu com 1,4 quilo e o irmão Azaphi, com 1,3 quilo. Os órgãos de Frankielen foram doados. O corpo foi velado e enterrado nesta quarta-feira (22).

Nenhum comentário:

Postar um comentário