quinta-feira, 23 de março de 2017

Ipiaú: Gestante dá a luz em pé no HGI; família denuncia negligência médica

A família de uma gestante de 28 anos denunciou na manhã dessa quinta-feira (23), o caso de uma suposta negligencia médica no Hospital Geral de Ipiaú. Segundo informou ao GIRO, Simara Messias Barbosa, sogra da gestante, o médico plantonista dessa quarta-feira (22), não realizou o atendimento e acompanhamento apropriados. Ainda segundo ela, a mulher deu à luz em pé e sem o auxílio médico. Conforme a família, a gestante deu entrada no Hospital Geral de Ipiaú por volta das 05h da manhã de quarta-feira. “O médico chegou umas dez e meia da manhã, ela (gestante) ficou de cinco da manhã até às dez e meia sendo acompanhada apenas pelas enfermeiras. Quando foi perto das onze horas o médico chegou no quarto. 

Ele olhou a paciente, fez o toque e disse que ela já estava toda dilatada e que só dependia dela para a criança nascer, mas ela falou que não tinha mais força, pois já estava sofrendo dores desde a noite anterior. Ela chegou a suplicar ao médico para que fosse feito alguma coisa e disse – por favor doutor faça alguma coisa, pois estou quase morrendo. Ele mandou que colocasse ela no balão de oxigênio para que ela reagisse e pra continuar colocando força para parir normal. Quando foi mais ou menos umas três e meia da tarde, ele voltou no quarto e disse que ela não tinha parido ainda porquê estava com a bexiga cheia e orientou ela a ir no banheiro. Depois de muita dificuldade nos conseguimos levar ela até o banheiro, mas ela não conseguiu urinar, na volta do banheiro, ela ainda em pé, a criança nasceu. Nesse momento só estava eu, uma parturiente e a prima da minha nora, fomos nós que realizamos o parto”, conta dona Simara. Ainda segundo ela, após o nascimento, o bebê sofreu uma série de convulsões.  Conforme informou a avô do bebê, a criança possivelmente sofrerá sequelas. “É uma situação muito desagradável, pois foi por negligência”, afirmou Simara.
O recém-nascido será transferido para uma unidade médica especializada em atendimento à gestante e recém-nascidos em Jequié. Em contato com João Henrique, diretor do Hospital Geral de Ipiaú, ele informou que a os procedimentos tomados pelo médico plantonista foi em conformidade com as regras do Ministério da Saúde. “Ela (paciente) já chegou ao hospital querendo fazer o parto cesário, só que o Ministério da Saúde preconiza que só pode fazer parto cesário depois de vários itens, e ela não tinha esses itens, foi tanto que ela fez um parto normal e de uma forma muito fácil, foi até uma coisa rápida”, disse o diretor. Ainda segundo ele, será aberta uma sindicância para apurar a denuncia de negligência do médico, que até o momento não teve o nome identificado pela denunciante. (Giro Ipiaú) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário