sexta-feira, 3 de março de 2017

Odebrecht pagou R$ 4 milhões ao PDT via caixa dois, diz site

O PDT recebeu, nas eleições de 2014, R$ 4 milhões em caixa dois da empreiteira baiana Odebrecht a pedido do ex-ministro Guido Mantega. Segundo o site O Antagonista, a informação consta no depoimento de Fernando Reis, ex-presidente da Odebrecht Ambiental, ao ministro Herman Benjamin, do TSE, na ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer.
Fernando Reis disse que, em meados de 2014, Marcelo Odebrecht mandou que ele ajudasse Alexandrino Alencar, um executivo da empreiteira mais ligado a Lula. Alexandrino Alencar disse a Fernando Reis que havia ocorrido uma reunião de Marcelo Odebrecht com Guido Mantega e, na ocasião, o então ministro da Fazenda pedira ao empreiteiro "apoio financeiro" para que o PT confirmasse a participação de partidos na coligação em torno da candidatura de Dilma Rousseff e, assim, obtivesse mais tempo de propaganda eleitoral na TV.

Mantega teria explicado a Marcelo Odebrecht que havia uma dificuldade em relação ao PDT para compor a coligação e era preciso atuar rapidamente para garantir que os pedetistas aderissem à chapa Dilma/Temer. Para convencer o PDT, foi estabelecida uma faixa de "apoio financeiro" entre 4 milhões e 7 milhões de reais. Fernando Reis marcou, em seguida, uma conversa com o então tesoureiro pedetista Marcelo Panella. 

Na conversa ocorrida no Rio de Janeiro, Fernando Reis comunicou a Marcelo Panella que tinha a permissão de oferecer ao PDT 4 milhões via caixa 2, em troca da confirmação da participação do PDT na coligação Com a Força do Povo. Os repasses ocorreram em quatro parcelas de R$ 1 milhão cada entre agosto e setembro de 2014. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário