sábado, 22 de abril de 2017

“Baleia azul”: Sesab indica medidas de proteção e orientação de adolescentes

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) determinou a adoção de medidas necessárias para proteger e orientar adolescentes devido a suspeitas de tentativas de suicídio estimuladas pelo jogo virtual Baleia Azul. O secretário da saúde Fábio Vilas-Boas anunciou força-tarefa para investigar casos de jovens que procuraram assistência hospitalar nos últimos dias por causa de atos de automutilação e outros ferimentos autoprovocados.

“A orientação aos pais e educadores dos jovens é que se registre a ocorrência, seja preservado o material (celular e/ou computador) e prestado atendimento médico imediato”, disse Vilas-Boas. A Sesab determinou que hospitais, prontos socorros, unidades de saúde e demais serviços de atendimento médico na Bahia redobrem a atenção em situações de automutilação e uso inadequado de medicamentos por crianças e adolescentes.

Para a família, a recomendação é que, ao identificar algum comportamento suspeito, leve a criança ou adolescente para a unidade de saúde mais próxima. “A situação é delicada e os pais devem ficar atentos ao comportamento de seus filhos. Trata-se de um jogo criminoso que tomou conta das redes sociais e está vitimando crianças”, observa.

Uma nota técnica da secretaria vai orientar a conduta dos profissionais de saúde frente a este tipo de situação. Além disso, uma rede de serviços esta à disposição para dar suporte aos casos que forem registrados, tanto com assistência clínica quanto psicológica, em unidades como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e o Núcleo de Prevenção ao Suicídio do Centro Antiveneno da Bahia.

Caso haja algum sinal de automutilação, o encaminhamento deve ser feito para o pronto socorro, de um hospital ou de uma Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA). Órgãos de saúde, educação e segurança pública estão trabalhando em conjunto para dar uma resposta à sociedade frente a este grave problema.

SINAIS DE ALERTA

Adolescentes saudáveis também podem ser atraídos pelo jogo por curiosidade ou pela sedução do proibido e acabar se colocando em perigo. Por isso, é importante ficar atento aos sinais de que os filhos possam estar entrando na brincadeira ou estejam precisando de ajuda.

Importante é manter as crianças e adolescentes protegidos e com a assistência necessária.

Em casos de identificação de comportamentos suicidas, deve-se ligar para Centro de Informações Antiveneno (0800 284 4343), que funciona 24 horas, ou para o telefone 141, para receber orientações de como proceder.


Nenhum comentário:

Postar um comentário