sexta-feira, 30 de junho de 2017

Agricultor é executado com seis tiros; funcionário da vítima é baleado durante o ataque

A morte de Márcio dos Santos está cercada de mistérios. O pai do agricultor foi executado há mais de dois anos no Extremo Sul e o próprio Márcio foi alvo de um atentado, cujo tiro acertou um dos filhos menores dele 
Márcio dos Santos Silva 35 anos
Tarde de sexta-feira, último dia do mês de junho. Em sua roça, na região do Cerrado, distrito de Itabuna, Márcio dos Santos Silva ou Sinho, como era mais conhecido, conversava e trabalhava, tranquilamente, em companhia de dois funcionários. Ele não sabia, mas aquele seria seu último dia de trabalho. Por volta das 15 horas, o grupo foi surpreendido com a chegada de dois homens armados.

Sem dizer nada, os desconhecidos começaram a atirar. O alvo era exatamente o dono da propriedade. E Márcio foi friamente executado aos 35 anos de idade. Foram seis tiros, todos no rosto. Ao ouvir o barulho dos disparos, a esposa da vítima chegou a olhar pela janela e gritar, um vão, para o marido correr. Mas isso acabou despertando a atenção dos criminosos, que voltaram a atirar, dessa vez, na direção da mulher.
A dona de casa correu desesperadamente e fugiu pelos fundos do imóvel, entrando pela mata, numa luta desenfreada pela sobrevivência. Àquela altura, já não importava a lama e o brejo que envolvia o lugar, onde parecia que ia submergir a qualquer momento em meio a tanto lamaçal. Finalmente, encontrou um vizinho, que a ajudou. A mulher, que não quis ser identificada, seguiu para Itabuna em busca de socorro. Avisou à família e ligou para o Samu e Polícia Militar.

Os socorristas, no entanto, não tinham mais o que fazer. Márcio estava morto. O corpo dele foi levado para o Departamento de Polícia Técnica de Itabuna. Quando tudo isso foi resolvido, já passavam das 5 horas tarde.  A PM, o Samu e os peritos do DPT tinham acabado de deixar o local. Foi aí que um dos funcionários, que conseguiu escapar ileso do ataque, lembrou-se do colega, que também a tudo testemunhou. 
Nilton Ramos Santos, de 53 anos
Após procurá-lo pelas imediações, parentes de Márcio, amigos e vizinhos descobriram o homem, baleado em uma das pernas, desmaiado em cima de uma cama. Quem ali estava teve que arrombar a porta para prestar socorro ao ferido.  O sobrevivente é Nilton Ramos Santos, de 53 anos. Ele foi socorrido em um carro particular e encontra-se internado no Hospital de Base, à espera de parentes que moram no bairro Daniel Gomes.

“Emaranhado de mistérios”
O ataque, que vitimou Márcio Santos, está envolto num “emaranhado” de mistérios. O rapaz, segundo informou a esposa dele ao Verdinho, não tinha envolvimento com o mundo do crime, embora fizesse uso de entorpecentes e gostasse de beber, chegando a apresentar algumas mudanças de comportamento quando embriagado.

Mas nada, garantiu a mulher, que prejudicasse sua conduta de um bom esposo e pai de família. Em entrevista à nossa equipe, a dona de casa relatou alguns detalhes que podem servir de pista nas investigações da Polícia Civil. Uma delas é de que, logo cedo, a caminho da cidade, onde foi vender lenha, o casal cruzou, no meio da estrada, com um carro azul e quatro homens a postos. O grupo, aparentemente estranho, levantou uma leve suspeita nos agricultores. A má impressão, entretanto, logo passou.
Outro detalhe que pode ser “anexado” ao rol de pistas, é que o pai de “Sinho” também foi executado, há pouco mais de dois anos, em Eunapólis. Mais um fato que merece destaque: o próprio “Sinho” foi alvo de um atentado há três anos, no bairro Fonseca, onde morava na época. O tiro, porém, acabou acertando um dos filhos do agricultor. A criança sobreviveu.

Após sofrer esse ataque, Márcio e a família foram embora para Salvador e depois para Eunápolis. Lá, envolveu-se numa briga e resolveu voltar para o sul da Bahia, indo morar nessa roça (de herdeiros), no Cerrado, palco da tragédia.

E um terceiro e, por enquanto, último ponto, é que, há uma semana, um homem parou Márcio na feira e disse que sabia quem era o assassino do pai dele. No entanto, não chegou a revelar o nome do suposto criminoso porque a esposa do agricultor se aproximou. Com a morte do Márcio, Itabuna contabiliza o 11º homicídio do mês de junho e o 73º de 2017. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário