domingo, 18 de junho de 2017

Ultrapassagem em local proibido: motorista atropela e mata engenheiro agrônomo na BR-101

Imprudência. Esta é principal suspeita no caso de um acidente, que matou, na noite deste sábado (17), na BR-101, Km 520, Rodovia Itabuna/Buerarema, o engenheiro agrônomo, Leandro Wagner Amaral Gomes, de 27 anos. Ele pilotava uma moto CG Fan, de cor preta e placa PJK-9609, quando foi violentamente atingido por um carro Uno, azul, de placa JOV-3333.
O condutor do automóvel fugiu sem prestar socorro à vítima, que morreu no local. O desastre teria acontecido após uma ultrapassagem proibida. O motorista, que ainda não foi localizado, tentou ultrapassar um caminhão, atropelando, já na mão contrária, o motociclista. Em entrevista ao Verdinho, o caminhoneiro Luís Cláudio da Penha, de 44 anos, disse ter testemunhado tudo.
Por pouco, Luís também não foi envolvido na batida, uma vez que o caminhão ultrapassado pelo Uno foi justamente o que ele conduzia. Ele explicou que saiu de Recife com destino ao Rio de Janeiro. O homem, bastante abalado com a violência do acidente, lembrou que já viu muitas mortes acontecerem por causa de imprudências como esta. Ele contou que poderia ter seguido viagem, mas resolveu parar o veículo para tentar ajudar de alguma forma.

Vítima ia ao encontro da namorada
Muito emocionado e chocado com a morte brusca do filho, o pai relatou que Leandro e ele são do interior de São Paulo e vieram para a Bahia há, aproximadamente, três anos e meio. Escolheram Buerarema para morar e montar uma empresa. No momento da tragédia , Leandro viajava para Itajuípe, para ver a namorada.
O corpo do engenheiro agrônomo, que sofreu múltiplas fraturas (inclusive teve as duas pernas quebradas)  foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica de Itabuna. 
A Polícia Rodoviária Federal estava no local do desastre, quando recebeu a informação de outro acidente. Desta vez, na BR-415, próximo a entrada da Roça do Povo no Bairro Ferradas, em Itabuna. As vítimas dessa ocorrência, de acordo com a PRF, sobreviveram e foram levadas para o Hospital de Base.

Nenhum comentário:

Postar um comentário