IN2607  PF3107

quinta-feira, 13 de julho de 2017

“Protagonista” de filmes reais “editados” pelo tráfico, Thiago Penteado agora é o Sete de Copas do “Baralho do Crime”

Atualizada
Ele, por muito tempo, estampou as manchetes policiais. “Protagonizou” inúmeras “cenas”, encarnando o seu papel predileto no mundo do crime: o de bandido. Foi preso diversas vezes e é dono de um vasto “currículo”. Sua especialidade é o tráfico de drogas, mas também “atua” como assassino frio e cruel em vários “filmes de terror” reais.

Entre suas vítimas, pessoas inocentes, como o menino Keven Braga, de apenas oito anos, morto num ataque ao bairro Gogó da Ema, em Itabuna, mês passado. Estamos falando do traficante itabunense, Thiago Freitas Rodrigues, ou “Thiago Penteado” ou simplesmente “Pente”. Foragido, Thiago, agora estampa seu rosto no famoso “Baralho do Crime”, uma ferramenta criada pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia, que visa divulgar uma lista de criminosos perigosos procurados pela polícia.

Tal ferramenta já ajudou na prisão de centenas de bandidos. E sempre que isso acontece o baralho é atualizado. Thiago é o Sete de Copas e quem souber informações sobre seu paradeiro é só ligar para o disque-denúncia da polícia.

Ligação direta com Itabuna
Em entrevista ao Programa O Crime Não Compensa, o delegado André Aragão informou que Thiago estava entre os alvos da Operação Saturno, realizada no Rio de Janeiro, onde o acusado se esconde atualmente. Para Aragão, não restam dúvidas: a distância não conseguiu impedir que o traficante continuasse atuando no sul da Bahia, através de ligações mais que diretas.

De lá, da “Cidade Maravilhosa”, “Penteado” dita execuções de rivais e designa ordens para os seus “subordinados” do tráfico. Ainda segundo o coordenador da 6ª Coorpin, foi Thiago, inclusive, que ordenou o ataque covarde ao Gogó da Ema, onde mulheres ficaram feridas e o menino Keven foi morto por uma bala perdida. Tudo em nome do poder, do controle do tráfico de drogas.

Unidos pelo crime e separados pela morte
O irmão de Thiago, Danilo Freitas Rodrigues, também compartilhava das mesmas “atividades". “Danilo Cigano”, como era conhecido, foi preso várias vezes. Uma de suas últimas passagens pela cadeia foi em dezembro de 2015, quando foi detido por tráfico de drogas e porte ilegal de armas.

Danilo Freitas Rodrigues
Portava no momento da prisão uma pistola calibre 380 e era investigado por assassinatos. Mas, na ocasião, Danilo pagou uma fiança de, aproximadamente, cinco salários mínimos e ganhou as ruas. Thiago e Danilo chegaram a agir juntos, a exemplo de quando se envolveram num tiroteio na Praça do bairro São Caetano, que deixou uma mulher ferida, vítima de bala perdida. Os irmãos foram presos, juntamente, com outros três jovens.

No entanto, a “carreira” de Danilo foi encerrada em Vitória, no Espírito Santo, para onde resolver se mudar após ganhar a liberdade. Danilo foi executado dentro da distribuidora de gás do pai dele, no Jardim Limoeiro, na Serra, naquele estado. 



Mesmo com o fim trágico do irmão, Thiago, líder da facção criminosa DMP, parece não temer os desafios tenebrosos impostos pelo caminho que escolheu. Prefere continuar "peitando" rivais em nome de uma "lei" cruel", cujo lema é "matar ou morrer pelo tráfico".

Links relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário