terça-feira, 29 de agosto de 2017

Caso Mar Grande: Após tragédia, prefeito denuncia falta de fiscalização em terminal


Em entrevista ao Jornal Bahia Meio Dia, nesta segunda-feira (28), o prefeito da cidade de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, Marcus Vinícius (PMDB), denunciou que não há fiscalização no terminal de lanchas do município, local de onde partiu a embarcação que virou provocando a morte de ao menos 19 pessoas, na Baía de Todos-os Santos.

Além disso, o prefeito ainda afirmou que, há cerca de três meses, foi feito um pedido de audiência pública com autoridades para tratar sobre o assunto, mas que a solicitação não foi atendida.

Desde que as lanchas e o terminal foram privatizados, em 2012 e 2013 respectivamente, a fiscalização e regulação são de responsabilidade da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), que nega a acusação.

"Por ser intermunicipal, esse transporte não cabe nem a Vera Cruz e nem a Salvador, nem a regulação e nem a fiscalização. Cabe ao estado, através da Agerba. Porém, não temos um posto. E aí vem a primeira indignação dos moradores: para gente reclamar dos serviços, irônicamente, a gente precisa primeiro usar o serviço, sair da ilha e vir para Salvador, para [o posto da] Agerba", contou Marcus Vinícius.

O prefeito disse ainda no dia 23 de maio, a Câmara de Vereadores de Vera Cruz e representantes da Prefeitura foram até a Agerba. "Solicitamos uma audiência pública justamente para discutir regulamentação e fiscalização do sistema. Até hoje a gente não conseguiu sequer que essa audiência fosse agendada na ilha. Então, o grande problema é antigo, mas, acima de tudo, desde muito tempo nós não somos ouvidos", revelou.

Em nota, a Agerba informou que os fiscais atuam tanto em Salvador como na Ilha de Itaparica para realizar as operações de fiscalização do serviço prestado aos usuários do sistema de travessia por lanchas. A Agerba informou ainda que vai aguardar o resultado do inquérito instaurado pela Marinha, para depois adotar os protocolos estabelecidos pelo órgão.

Travessia

A travessia entre Salvador e Mar Grande, centro de Vera Cruz, está suspensa desde a quinta-feira (24), dia do acidente. O serviço seria retomado nesta segunda, mas a volta foi adiada por conta de um protesto no terminal marítimo de onde saem as lanchas. Moradores da cidade organizaram uma vigília no local. Até por volta das 20h, o grupo permanecia no local. Por conta disso, a viagem de ferry boat ou de carro são as opções para quem mora na Ilha de Itaparica e precisa viajar para a capital baiana.

O valor da passagem de lancha é R$ 5,60, de segunda sábado, e R$ 7,40 aos domingos e feriados. De ferry, pedestre paga R$ 5 durante a semana e R$ 6,60 nos fins de semana. A tarifa para veículos pequenos é de R$ 45, durante a semana, e R$ 63 nos fins de semana.

De lancha, a distância é cerca de 12 km e a viagem dura cerca de 45 minutos. De ferry, a distância é de cerca de 23 km e o tempo de viagem é de uma hora ou mais. Já de carro, pela estrada, a distância entre as cidades é de cerca de 200 km e a viagem dura entre 3 e 4 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário