quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Deputado Augusto Castro cobra do governo valorização da Polícia Civil

Em repúdio ao valor pago pelo Governo do Estado aos policiais civis que trabalham no maior carnaval de rua do país, um manifesto foi assinado por integrantes da corporação se recusando à trabalhar no próximo ano no carnaval de Salvador. Segundo o documento que será encaminhado à Secretaria de Segurança Pública da Bahia, os valores não correspondem com as despesas mínimas de estada e deslocamento neste período. Atualmente, o valor pago para despesas de transporte, alimentação e hospedagem a um policial civil convocado para o carnaval é de 149 reais por dia e 222 por plantão noturno. Já o sindicato da categoria cobra diária de 207 e plantão de 563 reais. Conforme dados do sindicato, a cada 10 policiais civis que trabalham no carnaval de Salvador, 7 são do interior do estado.

O deputado Augusto Castro concorda com a manifestação e espera que o governo refaça o cálculo a ser pago a cada policial civil convocado. “Não podemos concordar com os valores hoje praticados pela Secretaria, pois não compensa nem mesmo as despesas mínimas necessárias à sua estada na capital”. O deputado diz que entrará em defesa da categoria e que espera a sensibilidade do Governo em rever esses valores, dando uma condição mais justa de trabalho à corporação. “Os riscos são altos e o trabalho da polícia é fundamental para que os foliões curtam a festa com mais tranquilidade e segurança”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário