quinta-feira, 10 de agosto de 2017

'Foi desespero', diz candidato que correu com folhas de respostas em concurso da PMBA

Foto: reprodução BATV
"Foi o desespero mesmo. Me deu a vontade correr, correr, correr. Mas minha intenção não era prejudicar ninguém, nenhum candidato", é o que revela o candidato do concurso da Polícia Militar e Bombeiros da Bahia, Rudenilton Paixão, que no último domingo (6) saiu correndo do local de provas com folhas de respostas de concorrentes, após não conseguir terminar o exame.

Rudenilton falou que estudou durante um ano para o concurso e que está desempregado há três meses. Casado e com duas filhas, ele revelou que se desesperou quando percebeu que precisava entregar a prova, que ainda não havia sido concluída. Ainda segundo Rudenilton, desde criança ele sonha em ser policial e apesar de já ter sido eliminado do concurso, ainda tem esperança que a prova seja corrigida.

"Que minha prova seja corrigida como a dos outros candidatos. E estou na esperança de conseguir realizar o meu sonho, que é ser um policial militar", contou.

Sem poder disputar uma vaga no concurso, Rudenilton espera conseguir um emprego para ajudar no sustento da família. "Um emprego digno, honesto, que eu possa, junto com a empresa, estar somando em prol do crescimento de ambas as partes", contou.

O psicólogo André Dória comentou sobre o caso de Rudenilton, e disse que qualquer pessoa em situação de estresse pode perder o controle. "Muitas vezes as pessoas reagem de forma singular ao estresse. Então, não dá para prever, não existe essa previsibilidade de que uma pessoa vai agir de forma violenta e a outra não", explicou.

Caso

Rudenilton foi levado à delegacia após a confusão durante a prova na Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), no bairro da Federação, em Salvador.

De acordo com a Polícia Militar, o coordenador do local de prova informou que, após não ter conseguido terminar a redação, o candidato pegou os pertences, agarrou algumas folhas de respostas de outros candidatos e saiu correndo pelo corredor da unidade.

Policiais militares que faziam a segurança do local de prova conseguiram impedir a fuga do candidato, e uma guarnição da 41ª CIPM conduziu ele para a delegacia da Central de Flagrantes, na Avenida ACM. Outros candidatos e responsáveis da empresa que organizou o concurso também foram até a delegacia como testemunhas do fato.

Segundo a PM, as folhas de respostas levadas pelo homem foram recuperadas intactas, o que não causou prejuízo para outros candidatos. Em nota, a Secretaria de Administração do Estado da Bahia (Saeb), responsável pelo concurso, informou que o concurso transcorreu normalmente nos 293 locais de prova, em Salvador e em mais 12 municípios. De acordo com a Saeb, o fato ocorrido na Faculdade de Filosofia da Ufba é isolado e não causou nenhum tipo de prejuízo ao certame.

Por meio de nota, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (Ibfc), informou que a prova do candidato foi anulada e ele, automaticamente, eliminado do concurso público. A eliminação ocorreu porque Rudenilton descumpriu regras do edital como não devolver a sua folha de respostas, perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos e/ou agir com descortesia em relação a qualquer dos examinadores, executores e seus auxiliares, ou autoridades presentes e por ter se ausentado da sala de provas, portando as folhas de respostas e/ou cadernos de questões.

9 comentários:

  1. VC NÃO ESTUDA, E AINDA QUER BAGUNÇAR A VIDA DOS CONCORRENTES.

    ResponderExcluir
  2. COMO QUER SER POLICIAL DESSE JEITO?! NÃO RESPEITOU NEM OS CONCORRENTES, ACHA QUE VAI RESPEITAR ALGUÉM QUANDO FOR PM?

    ResponderExcluir
  3. realmente uma medida de desespero. tem que confiar em deus e nunca desistir!! deus o abençoe. e lhe dê boas oportunidades para que ele se realize.

    ResponderExcluir
  4. Claro, desclassificado seria o mínimo que poderia se fazer, deveria ser preso, já pensou um louco desse com uma arma sendo policial ? Tá repreendido . Loucura desse idiota

    ResponderExcluir
  5. Se na prova ele nao sabe se controlar imagine com uma arma na mão!

    ResponderExcluir
  6. Um ladrão quer virar policial? kkkkkkkkkk Só aqui na minha Bahia mesmo!

    ResponderExcluir
  7. Pensem nesse cidadão com uma arma na mão carregada.Como seria?Em uma situação de estresse,Deu tenha misericórdia.

    ResponderExcluir
  8. Que DEUS o abençoa a correção da prova e que ele pascer um surto ele e instantâneo ele não fala o dia e nem a hora ele chegar e alcabol se fosse assim policiais ja de farda coronel tenente sargento advogados e outro e mais profissões não mataria sua própria esposa mesmo intendendo da lei.

    ResponderExcluir
  9. A atitude foi errada, mas quem nunca cometeu erro? Se este país fosse sério não era necessário, apesar da competitividade ser saudável, ter tanta exigência para o povo ter trabalho e dignidade, sem escola qualificada, sobretudo, às públicas. O mal é que a gente sempre está condenado o outro, somos Policial, Promotor e Juiz?

    ResponderExcluir