terça-feira, 22 de agosto de 2017

Polícia Civil de Itapetinga deflagra segunda fase das operações "Pente Fino" e "Terra Firme"

A Polícia Civil de Itapetinga deflagrou nesta terça-feira (22) a segunda fase das operações “Pente Fino “ e “Terra Firme”. 

A primeira Operação teve o objetivo de combater o tráfico de drogas, principal causa de homicídios na região, sendo localizado um depósito de entorpecentes e munições no bairro Américo Nogueira, cujas investigações apontam pertencer a quadrilha comanda por Edson Valdir Souza Silva, vulgo Valdir, com prisão decretada e foragido, e Yuri Souza Alves, vulgo "Bila", preso preventivamente.






No referido imóvel sem ocupantes, localizado na Rua Marlivando de Oliveira, bairro Américo Nogueira foram apreendidos 37 tabletes de maconha pesando 25kg; 05 tabletes de cocaína, pesando 5,2kg; 29 munições intactas de calibre restrito .45; 05 munições de calibre .32 e 06 máscaras que possivelmente foram utilizadas pela mesma quadrilha no quádruplo homicídio registrado na cidade de Maiquinique no último dia 25 de julho.

Vanderlan Oliveira Cruz, de 46 anos, morador da casa térrea, foi conduzido e interrogado, sendo liberado. Estima-se que a quadrilha tenha tido um prejuízo em torno de R$ 70.000,00 com a apreensão das drogas.

Já a segunda Operação, também deflagrada nesta terça, dando continuidade ao combate ao abigeato e abate clandestino de bovinos em Itapetinga e região, resultou na prisão do açougueiro Ivanildo de Jesus Oliveira, vulgo Van, de 38 anos, morador da Travessa 01, na Nova Itapetinga. Ele mantinha em sua casa 06 espingardas de diversos calibres, 02 revólveres, 17 quilos de chumbo (para carregar as espingardas), 170 munições de diversos calibres e 09 lanternas.

Essa é a terceira prisão do açougueiro. Em novembro de 2011 acabou preso em flagrante transportando carne bovina abatida de forma clandestina e tendo em seu poder uma espingarda calibre 22. Em março deste ano, Ivanildo e mais três pessoas foram presas na primeira fase da Operação Terra Firme, de posse de gado furtado.

O açougueiro já era alvo das investigações por seu envolvimento no abate clandestino e furto de gado. A suspeita é que as armas apreendidas são utilizadas para abater o gado no período da noite, no interior das fazendas. As lanternas, que foram apreendidas, certamente ajudavam os criminosos na ação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário