quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Policiais civis de Ilhéus e Itabuna assinam documento em que desistem de atuar no carnaval de Salvador

Policiais civis do sul da Bahia assinaram nesta quarta-feira (9), em Itabuna, um documento em que desistem de trabalhar no carnaval de Salvador no próximo ano. Eles reclamam que o valor da diária e das horas extras são baixos. Para trabalhar no carnaval, um policial civil recebe R$ 149 de diária, para bancar transporte, alimentação e hospedagem. Além disso, a cada plantão noturno eles ganham R$ 222. 

O sindicato quer que a diária passe para R$ 207, e o valor do plantão para R$ 563. De acordo com estimativa do sindicatos da categoria, a cada 10 policiais civis que trabalham no carnaval de Salvador, 7 são do interior do estado. O vice-presidente o sindicatos, Eustácio Lopes, diz que o valor recebido não suficiente para cobrir os gatos que o policial tem. 

"O servidor vai para Salvador e é obrigado a dormir em viatura, dormir em abrigo, dormir em casa de amigo, porque o valor que ele recebe para se manter em Salvador é insuficiente", afirma.

Em nota, a Polícia Civil disse que o valor da diária, definido pelo Governo do Estado, é o mesmo pago aos servidores de outros órgãos e secretarias que também trabalham no carnaval. A Secretaria de Segurança Pública do Estado informou que vai esperar receber um comunicado oficial dos policiais pra se pronunciar sobre o assunto.

4 comentários:

  1. O GOVERNO TEM QUE OLHAR MAIS O LADO DESSES GUERREIROS, QUE CORREM RISCO O TEMPO TODO. A POPULAÇÃO PRECISA DA PRESENÇA CONSTANTE DESSES GUERREIROS.

    ResponderExcluir
  2. E eles são obrigados a irem? Vão porque querem. Por causa da diária que no mínimo é vantajosa. Agora ficam querendo pressionar o governo. É Cada uma viu!Esse dinheiro de diárias deveria fazer mais concurso e deixar esses sem irem. Resolvido!

    ResponderExcluir
  3. Quem não pode parar é a militar

    ResponderExcluir
  4. A sociedade está literalmente lascada, deveriam estar mais nas ruas trabalhando mais e participando menos destas reuniões que levam do nada a canto nenhum. Sindicato inoperante e omisso que deixou muitos destes a ver navio na questão das promoções. Pois a grande maioria dos policiais civis não foram promovidos. E a pergunta acima do internauta é peculiar: Eles não sabem antecipadamente dos valores a receber? São obrigados a irem? Então sem sombra de dúvida esta reunião tem finalidade politiqueira e demagógica de alguém que quer usá-los como trampolim político.
    Vão trabalhar mais e se reunirem menos.

    ResponderExcluir