terça-feira, 22 de agosto de 2017

Professora denuncia agressão física por aluno de 15 anos

A professora Marcia Friggi, de Santa Catarina, usou o Facebook nesta segunda-feira (21) para denunciar ter sido agredida com socos por um aluno de 15 anos na escola onde leciona no município de Indaial, no Vale do Itajaí. Conforme o relato, a educadora pediu que o adolescente colocasse o livro utilizado na aula sobre a mesa. Com a negativa do rapaz e uma agressão verbal como resposta, Marcia pediu que ele se retirasse da sala. 

A agressão física teria ocorrido minutos depois, quando os dois foram até a sala da direção. De acordo com a professora, o estudante negou tê-la ofendido e, ao ser interpelado, começou a agredi-la com fortes socos. Marcia publicou fotos que mostram um corte aberto em um dos supercílios, um olho inchado por um hematoma e sangramento no nariz.

Na publicação, a profissional também desabafa sobre agressões verbais anteriores e reclama do desamparo dos governos em relação à profissão. "Estou dilacerada por saber que não sou a única, talvez não seja a última. Estou dilacerada por já ter sofrido agressão verbal, por ver meus colegas sofrerem. Porque me sinto em desamparo, como estão desamparados todos os professores brasileiros. Estamos, há anos, sendo colocados em condição de desamparo pelos governos", afirmou Marcia.
A professora fez um boletim de ocorrência por volta das 11h da segunda-feira. De acordo com o delegado José Klock, que recebeu a queixa da professora, o jovem não tinha nenhum antecedente criminal. "Fizemos o B.O. e demos a guia para ela ir à perícia fazer o exame de corpo de delito. Em seguida, estamos instaurando um auto de apuração de ato infracional contra o adolescente". 


O delegado informou ainda que vai instaurar um inquérito depois do resultado do exame, e que testemunhas assim como o adolescente serão intimados a depor. "Nós próximos dias, quando vier o exame de corpo de delito, vamos ouvir as testemunhas oculares de dentro da sala de aula e na sala da direção. Bem como o adolescente. Ele vai ser intimado para prestar sua versão dos fatos", completou José Klock.

Conforme informação divulgada no portal "G1", a Gerência de Educação (Gered) da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Timbó publicou uma nota, afirmando que "lamenta o ocorrido e vai continuar acompanhando o caso".

A Secretaria Municipal de Indaial, que encaminhou a professora para prestar a queixa, repudiou a agressão também por meio de nota divulgada na segunda-feira. Confira:

"Nesta segunda-feira, 21 de agosto, uma professora da rede pública municipal de Educação de Indaial foi agredida por um aluno no Ceja (Centro de Educação de Jovens e Adultos), local de trabalho da profissional. Sobre o fato, a Secretaria de Educação de Indaial esclarece:
a) A Secretaria repudia qualquer tipo de agressão física ou moral, independentemente da motivação;
b) Após a ocorrência, a direção do Ceja prestou apoio à professora, levando-a para realizar o Boletim de Ocorrência e na sequência receber atendimento médico no Hospital Beatriz Ramos, onde foi medicada e encaminhada a sua residência;
c) A Secretaria de Educação está acompanhando todos os fatos e continuará prestando o apoio necessário para a professora".

Nenhum comentário:

Postar um comentário