domingo, 27 de agosto de 2017

Segurança de show de Wesley Safadão é morto a tiros

Autor dos disparos contra segurança do show
O show ‘Garota White’ de Wesley Safadão, em São Luís, registrou a morte de um dos seguranças do evento. Nilo Vitório Saraiva Pontes, de 36 anos, trabalhava como segurança no evento que foi realizado na madrugada deste domingo (27), no Hotel Pestana, bairro Calhau, em São Luís, quando foi morto por disparos de arma de fogo. O autor do homicídio, segundo a polícia, é Lucelmo Farias Gomes, de 31 anos, que já tinha três mandados de prisão pelo mesmo tipo de crime. Após ser apresentado na delegacia, ele foi encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

As investigações são conduzidas pela Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) e de acordo com o delegado de plantão Leonardo Carvalho, o motivo do homicídio foi por conta de uma mulher identificada como Eliene Pereira Sousa, de 34 anos, ter sido expulsa do ambiente por ser suspeita de furtar pessoas no show.
Uma das vítimas foi quem a segurou até a chegada da segurança do evento. Quando Nilo Pontes chegou, conduziu a suspeita de furto para fora da festa. Momento em que ele foi surpreendido pelos tiros.

“Sobre os furtos, não podemos confirmar, pois a vítima não compareceu à delegacia e não encontramos objetos do furto. Mas em decorrência do segurança ter levado essa mulher para fora do show, o companheiro dela, que estava armado com um revólver calibre 38, ao ver o segurança segurando-a, ele pegou a arma e efetuou os disparos”, disse o delegado.

Arma apreendida pela polícia após o crime
Depois disso, Lucelmo tentou fugir em um táxi. A Polícia Militar agiu rapidamente e conseguiu localizar o veículo. Na abordagem, os policiais encontraram Lucelmo na companhia de duas mulheres. Além de Eliene Pereira Sousa, que foi expulsa do evento e deu causa ao homicídio, estava no carro também Ana Patrícia Silva de Sousa, de 29 anos, que tinha mandado de prisão por conta de furtos em outra ocasião. Ele deveria estar sendo monitorada por tornozeleira eletrônica, mas retirou a ferramenta por conta própria. Sobre Eliene, a polícia confirma que ela já foi detida outras vezes por furto.

Na delegacia, Lucelmo apresentou identidade falsa, mas a manobra foi descoberta pelos policiais. A arma do crime foi encontrada debaixo do tapete do táxi com duas, das seis balas, deflagradas.

Em nota, os produtores do evento disseram que "se solidarizam com familiares, amigos e colegas da vítima e registram porfunda indignação pela banalização da violência... que põe fim à vida de um pai de família honrado e trabalhador".

Nenhum comentário:

Postar um comentário