sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Justiça nega pedido de Geddel para ficar preso em casa ou em presídio militar

A Justiça do Distrito Federal negou pedido da defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima para que ele fosse transferido para prisão domiciliar ou, como alternativa, para uma prisão militar. De acordo com a defesa, Geddel sofre ameaças de outros presos do complexo da Papuda, no DF, onde ele cumpre prisão preventiva. 

Ao negar o pedido, a juíza Lelia Cury, da Vara de Execuções Penais, afirmou que Geddel não corre riscos na cadeia e que está detido de forma adequada, na ala reservada aos presos que têm curso superior. "Essencial registrar que as medidas necessárias ao resguardo da integridade física do custodiado vêm sendo adotadas pela direção da unidade prisional em que se encontra, não havendo, até o presente momento, nenhuma notícia de que ela tenha sido violada", escreveu a juíza. 

Geddel foi preso na última sexta-feira (8), três dias depois de a polícia encontrar R$ 51 milhões em cédulas em um imóvel supostamente utilizado por ele. Amigo pessoal do presidente Temer, Geddel ocupou a Vice-Presidência de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal no governo Dilma Rousseff, indicado pelo PMDB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário