quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Trump acaba com proteção para filhos de imigrantes ilegais

O presidente americano, Donald Trump, tomou mais uma decisão polêmica e decretou o fim do programa que protege filhos de imigrantes ilegais de serem deportados.

O chefe do Departamento de Justiça disse que o presidente Trump decidiu encerrar o programa implementado pelo ex-presidente Barack Obama, porque é ilegal. Em 2012, o decreto beneficiou cerca de 800 mil filhos de imigrantes sem documentos que foram trazidos para os Estados Unidos pelos pais quando eram crianças.

Esses jovens informaram nome e endereço ao governo e, em troca, além de serem protegidos de deportação, foram autorizados a estudar e trabalhar no país.

Jeff Sessions deu ao Congresso seis meses para resolver a situação desses jovens. Mas e se nada for resolvido quando o prazo acabar? Eles vão ser expulsos? Esses jovens trabalham, pagam impostos, contribuem com bilhões para a economia americana.

Não há resposta para muitas dessas dúvidas, inclusive porque o chefe do Departamento de Justiça, que chamou a imprensa para fazer o anúncio, não quis falar com a imprensa.

Lucas Codognolla chegou aos Estados Unidos com nove anos. "Estamos contribuindo para a economia, para nossas comunidades, então, para o governo tirar essa permissão de trabalho e também nos colocar em risco de deportação, isso é um ato irresponsável”, afirmou o ativista.

Bruna Bouhid diz que voltou a viver com medo. "A imigração pode me pegar, separar nossa família. Acho que é muito difícil uma pessoa que não é imigrante nesse país entender como é viver com esse medo todo dia", contou a ativista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário