quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Deputado condena invasão de terras produtivas na Bahia

A ocupação de fazendas produtivas nos últimos dias no Sul e Sudoeste do Estado gerou um clima de tensão nas cidades de Potiraguá, Itaju do Colônia e Itapetinga. Segundo moradores, desde o dia 23, quando uma fazenda do ex-ministro Gedel Vieira Lima foi invadida por índios, que homens armados circulavam livremente causando terror e intimidando quem se aproximasse. 

A partir daí, propriedades de outros fazendeiros também foram invadidas por índios Pataxós, que alegavam ser território indígena e por outras pessoas que diziam fazer parte do Movimento Livre pela Terra – MLT, justificando que aquelas áreas eram improdutivas. As polícias Civil e Militar concluíram que os invasores estavam ali de forma ilegal e arbitrária, pois os mesmos fugiam quando estas se aproximavam.

Augusto Castro cobra providências do Estado

Em entrevista à uma rádio da capital, o deputado Augusto Castro, secretário estadual do PSDB baiano, condenou as invasões e demonstrou seu apoio aos fazendeiros e a população destas cidades pelos momentos de terror que passaram ao longo desses dias. “É lamentável que situações como estas ocorram em nosso Estado e bandidos se escondam por trás de movimentos sociais. 

Não podemos permitir que produtores rurais e moradores de pequenas cidades vivam intimidados por vândalos. Os Pataxós tiveram suas reservas garantidas e delimitadas pelo Superior Tribunal Federal em 2012, portanto, não há mais o que reclamar. Temos regras em nosso país e compete à todos respeitá-las”. 

O deputado disse também, que espera que a polícia investigue a fundo essas invasões e que o sistema judiciário tome as providências necessárias. “A Justiça deve agir de forma rigorosa quanto à estes acontecimentos. Não é justo que a população continue a ser vítima deste terror, sem que lhe seja garantida nenhuma tranquilidade. Por sua vez, esperamos que o Governo do Estado faça sua parte e garanta a segurança que vem desfalcando a Bahia ao longo de anos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário