sábado, 28 de outubro de 2017

Prefeitura faz demolições em invasão na Praia da Barra e Joia do Atlântico, em Ilhéus


No último dia 25, quarta-feira, o serviço de Fiscalização de Posturas da secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (Seplandes), da Prefeitura de Ilhéus, cumpriu novas ordens de demolição de construções irregulares em áreas públicas, na localidade conhecida como Cominho, no Bairro da Barra, e no Joia do Atlântico, zona norte da cidade. A ação, realizada a partir das 8 horas, contou com o apoio da CIPPA - Companhia Independente de Polícia Ambiental, Ministério Público e secretaria municipal de Serviços Urbanos.

De acordo com o chefe do Serviço, Murilo Silva Alves, as construções irregulares estavam em andamento. “As demolições visam a obstrução de invasão em área pública ou em APP – área de preservação ambiental permanente - ou em área preamar (próximo às praias), sem autorização de nenhum dos Poderes, tanto da União, nem municipal ou estadual”, afirmou.

No Cominho, na Barra, houve a derrubada de um muro, através do qual as pessoas visavam aumentar os espaços de suas residências, e até mesmo para fazer área de lazer, como a construção de uma piscina particular em área pública. Além disso, a área invadida era de uso coletivo, de lazer, e servia como campo de futebol. Segundo Murilo Alves, foram demolidos dois radiers que estavam finalizados para o levante de alvenarias da casa e dois muros de cerca de 20 a 30 metros de comprimento por 17 metros de largura.

Joia do Atlântico – No mesmo dia 25, à tarde, a equipe do Serviço de Fiscalização de Posturas se deslocou até o Joia do Atlântico, no litoral norte, a fim de verificar uma denúncia feita por populares sobre o desmatamento que estava acontecendo na área, próximo ao Parque Estadual da Ponta da Tulha. Lá foi constatada uma ação de um movimento social chamado Casas Unidas Terra de Abraão, que promove o desmatamento, loteando a área e mudando a estrutura física do bioma.

Apesar de estarem trabalhando com agricultura familiar, a atividade ocorre próximo ao Parque, que é uma zona de amortecimento, o que não é permitido. No local, também foi feita a apreensão de animais silvestres em poder de pessoas desse movimento. A Polícia fez as apreensões e providencia o transporte dos animais para o centro de recuperação na cidade de Porto Seguro.

Ainda no Joia do Atlântico, do outro lado da pista, em direção à praia, foi feita a demolição de um radier, onde foi constatada uma invasão próxima ao mangue, onde se pretendia construir um imóvel. Murilo afirmou que essas ações também visam coibir invasões em áreas de preservação permanente e em área proibida, a fim de evitar alterações no bioma da região de restinga.

Ele salientou o apoio recebido por todos os gestores da Seplandes e do Ministério Público, através do promotor Paulo Sampaio, e o fato de as ações terem ocorrido sem nenhum incidente. “A Fiscalização de Posturas continuará atuando com o objetivo de coibir as tentativas de invasão em áreas proibidas para que o ambiente da cidade de Ilhéus não seja degradado”, concluiu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário