quarta-feira, 15 de novembro de 2017

As sete vítimas fatais do acidente envolvendo ônibus de excursão que seguia para SP eram baianas

As sete vítimas que morreram no acidente envolvendo o ônibus de excursão que saiu de Itabuna com destino ao estado de São Paulo eram baianas.

O corpo de Vandinei Ferreira Souza, de 43 anos, mais conhecido como Leco, morador da Rua Monte Pascoal, no bairro Vila das Dores, chegou na cidade de Itabuna hoje pela manhã (14) e foi velado na quadra do Ciso.

O corpo da ilheense Gleice dos Santos, de 36 anos, também chegou nesta manhã em Ilhéus, onde foi velado e enterrado. Uma outra vítima foi enterrada na cidade de Vitória da Conquista e mais dois corpos permanecem no Instituto Médico Legal em Minas Gerais aguardando os familiares para fazer o reconhecimento.

Entre os mortos havia também um bebê de 8 meses e mais duas pessoas que foram enterradas em São Paulo.

O acidente aconteceu na manhã de domingo (12) em Brumadinho, Minas Gerais. O ônibus seguia sentido ao estado de São Paulo quando tombou na Serra do Igarapé.

Segundo a ANTT, Agência Nacional de Transportes Terrestres, o ônibus não tinha autorização para viajar para a fora do estado transportando passageiros. O acidente deixou 12 pessoas feridas e 7 mortas.

A empresa RC Turismo informou que está ajudando as vítimas e os parentes dos envolvidos no acidente.

7 comentários:

  1. nessa hora,se acaba preconceito,riqueza,pobreza,fc dica,td pra vala,misericordia

    ResponderExcluir
  2. "Segundo a ANTT, o ônibus não tinha autorização para viajar para fora do Estado". Analisando este trecho da reportagem, percebe-se que o acidente
    ocorreu em consequência da negligência de seus proprietários por ganância,
    não podemos eximir as autoridades que não fiscalizam as nossas estradas.
    A PRF nas passagens destes veículos nos postos solicitar a documentação.
    Evitar-se-ia estas situações que machucam sobretudo os familiares dos que
    morreram. Mas estas coisas continuarão a ocorrer principalmente por que
    se visa o lucro e as propinas que se dão aos agentes para que se possam
    passar nas estradas sem serem percebidos. Que Deus conforte àqueles que ficaram.

    ResponderExcluir
  3. Verdinho mais uma vez, o nome do rapaz é Vantinei e não Vandinei, veja a reportagem com atenção!!!

    ResponderExcluir
  4. Vamos parar de hipocrisia, como se uma autorização da ANTT fosse evitar algum acidente. Esses órgãos de fiscalização e regulamentação não fiscalizam nada só servem para arrecadar pro estado.

    ResponderExcluir
  5. Djuda que é a dona do ônibus ela viajar todo ano e final de semana clandestinamente pra São Paulo no Brás ganha dinheiro nas custa povo pobre que não tem condições paga mas caro e tb nunca controla o peso das bagagens a vim gente até viajando sentado no chão do ônibus ela TB estava ônibus acidente domingo tem que indenizar as famílias

    ResponderExcluir
  6. ANTT qual a diferença de um carro desse esta em um outro estado pra outo um municepi ou em rodovia o municipil e secados por casas e ladeiras se Deus olive um onibos desse falta freio em uma ladeira no municipil vamos para de arrecadar mais e eliminar esses carros presta ou não presta para andar em lugar algum.

    ResponderExcluir