segunda-feira, 17 de maio de 2021

Passageira denuncia agressão feita por motorista de aplicativo em Feira de Santana: 'Me deu um murro no olho'

A técnica de enfermagem Ana Paula Mendes de Araújo, de 36 anos, denunciou ter sofrido uma agressão por parte de um motorista por aplicativo, após ele se negar a fazer a corrida solicitada por ela, na cidade de Feira de Santana, que fica a 100 quilômetros de Salvador. A passageira informou que foi empurrada e recebeu um "murro no olho".

Em entrevista ao G1, Ana Paula Araújo, que é mãe de três crianças, afirmou que pediu a corrida no final da manhã de sexta-feira (14), na Avenida Senhor Dos Passos, após comprar roupas e uma marmita de comida para os filhos.

A técnica enfermagem contou que estranhou o pedido do motorista para que ela colocasse as sacolas no banco da frente do veículo e sentasse no fundo. Ao questionar, ela disse que o homem argumentou que não queria que sujasse os bancos do carro.

"Eu falei para ele que eram roupas que eu tinha comprado, que não tinha colocado as sacolas no chão e que não estavam suja. Ele ficou falando que não queria e que então ele ia cancelar a corrida. Eu ainda expliquei que eu tinha comprado uma marmita para minhas crianças comer, mas ele ficou falando que não ia me levar", contou a técnica de enfermagem.

Segundo Ana Paula Araújo, ela ficou do lado de fora do carro esperando o motorista cancelar a corrida, mas ele desistiu e falou que a mulher teria que cancelar. "Eu bati no carro e falei que estava com a marmita das crianças na mão e que se ele quisesse cancelar, era para cancelar, porque eu precisava pedir outra corrida. Ele desceu e me empurrou, no impulso eu também o empurrei e ele me deu um soco no rosto", disse.

A técnica de enfermagem contou que após a agressão, o homem entrou no carro e fugiu do local. Ela foi socorrida por um mulher, que estava do outro lado da rua e conseguiu anotar a placa do carro, e outro homem, que também é motorista por aplicativo, e a ajudou a prestar queixa na delegacia.

"Ele saiu do carro e me deu um murro no olho. Eu fiquei assustada e a sorte foi que a mulher, que presenciou todo o fato, conseguiu anotar a placa do carro", contou Ana Paula Araújo.

Ana Paula Araújo registrou um boletim de ocorrência na 2ª Delegacia Territorial do bairro Sobradinho. No sábado (15), ela fez exames de corpo e delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Ainda ao G1, a técnica de enfermagem disse que encontrou o mesmo homem na delegacia, mas não sabe dizer o motivo em que ele foi para o local. Uma audiência sobre o caso foi marcada para outubro.

"Acho que ele pensou que eu não ia denunciar e tentou se cobrir com um boletim de ocorrência, para querer se safar do que ele fez. Eu não sei o que aconteceu, estava longe, mas ele foi ouvido e foi embora", afirmou.

Em nota, a Polícia Civil que apura a agressão, que foi expedida uma guia para exame de lesões e agenda os depoimentos dos envolvidos.

14 comentários:

  1. História mal contada... provavelmente deve ter xingado o motorista severamente,e ele reagiu dessa forma, o que não justifica agressividade. As pessoas precisam ter o cuidado com o que falam, para não haver esse tipo de reação.

    ResponderExcluir
  2. Não devemos perder, tempo e muito menos ainda colocar as nossas vidas em risco.
    Entrou, seja lá em um carro de aplicativo, ou em um táxi sentiu um clima pesado faça um jeito de descer e se for o caso, pague a o serviço até aonde você tiver decidido.
    Não discuta.
    Não que eu esteja, ou queria justificar a ação do sujeito, mais é melhor decer.
    Se que é como está sendo contado.

    ResponderExcluir
  3. Pagam 5 reais e ainda querem sujar o carro, enquanto os donos do app ganham sem gastar nada

    ResponderExcluir
  4. Os homens estão tão civilizados e gentis. Daqui a pouco vamos voltar para idade da pedra.
    Aliás, tem outra opção se relacionar com outro homem tão bruto quanto ele

    ResponderExcluir
  5. Essas estórias mal contadas, quem ver assim é gente boa ela!!!

    ResponderExcluir
  6. Eu achei foi pouco !!

    ResponderExcluir
  7. Pense na situação, A audiência foi marcada para outubro, e assim como tantas outras audiências, se o indivíduo já se encontrava na delegacia contando uma mentira ou verdade, porque não ter confrontado no ato, já estavam lá e a situação séria resolvida. De que adianta, uma audiência tão longe, se já deu um empurrão, um murro no rosto, talvez seja morta antes da audiência e aí será mais filhos sem mãe para ser criado atoa. todo tipo de gente sem escrúpulos desempenham esse serviço, o certo seria ter desistido da corrida no primeiro momento das exigências, até pagasse os míseros valores que para quem é trabalhadora é muito, faz falta, mais pagaria a esse gladiador de mulheres, Só sei que a mulher ficou sem garantia de segurança pois terá que em outras oportunidades usar deste tipo de transporte que não tem segurança ir o mesmo indivíduo. Acho bom a população acompanhar o caso. Se tivesse transporte público essa patifaria não aconteceria. Só sei que banalizou esse meio de transporte sem segurança. Se está no ônibus a pessoa vai assaltada, se está no ponto a espera a pessoa vai assaltada, se pega o UBER, apanha, isto é um terrorismo. As pessoas estão atoa. Gente não caiam em agressividade, saiam da situação ao primeiro momento, peçam desculpas, pois assim quebra a fúria dos gladiadores de mulheres.
    Cadê o movimento feminino para acompanhar essa senhora. E vejo que é uma autoridade em saúde, é uma enfermeira, é uma pessoa que socorre na dor, é quem limpa a bunda do enfermo, é quem limpa a bunda dos valentões baleados prostrados nos leitos dos hospitais, alguém tem que fazer alguma coisa, A UBER não pode ter agressores em seus quadros, será que na inscrição para trabalhar na UBER é Exigido o documento de antecedentes criminais? Fica a pergunta. A coitada terá que desembolsar com um Advogado para ser acompanhada nas audiências, que algum grupo de advogados se disponham a amparar essa Enfermeira agredida, gente socorre, faz alguma coisa. Queremos ler os resultados.
    Advogados vejam quem é essa senhora e dem uma resposta. Só Voceis mesmos.

    ResponderExcluir
  8. Autoridades criminalistas, Socorram Essa Enfermeira que apanhou de um motorista da UBER.

    ResponderExcluir
  9. Essa é a versão dela do ocorrido. Alguns comentaristas adoram condenar sem ouvir a outra versão dos fatos.

    ResponderExcluir
  10. Como tem gente ipocrita nestes comentários uma diz que a história tá mal contada , outra fala em sujar o banco do carro , requisitado o serviço , o cara vem faz a corrida e acabou , agora se é 5 reais ou 10 reais não importa, o que importa é a agressão que a mulher sofreu

    ResponderExcluir
  11. Essa deve ser uma daquelas atrás de auxílio na justiça kkkkkkkkkkk, é a versão dela kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  12. ESSE CARA QUE POIM SEUS CARRO EM APP SAU OS BURROS DE CARGA DOS DONOS DE APP PORQUE OS CARRO SO ANDA TUDO BATIDO QUEBRANDO AGREDINDO OS PASSAGEIROS AQUI EM ITABUNA TEM MUITO DISSO EM ÓCUTO MAIS PARA DIZER QUE ANDA DE CARRO ALUGA CARRO PARA POR NO APP FORA QUE SE ACONTECER UM ESTUPRO OU UM SEQUESTRO UM ASSACINATO COISA DO TIPO NAO TEM NEM COMO INDENTIFICAR O CARA PORQUE TEM MUITOS AI QUE O CADASTRO NO APP É FRALDADO ABRA O OLHO PORQUE TEM MUITOS DO CARA DO APP QUE FAZEM AVIAO PARA TRAFICANTES E VCS QUE UAS PODE SER PRESO EM UM DESSES TRAGETOS A POLICIA TEM QUE PEDAR MAIS NO PÉ DESSES MALANDROS

    ResponderExcluir