segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Criança de oito anos é presa por blasfêmia após fazer xixi em biblioteca islâmica no Paquistão

Uma criança hindu de 8 anos está sendo mantida sob medida protetiva da polícia do Paquistão após ter sido presa pelo crime de blasfêmia. O menino é acusado de urinar em um tapete na biblioteca de uma escola religiosa no mês passado. O caso viralizou nas redes sociais e uma multidão depredou um templo hindu em resposta.

Na quinta-feira (05), forças de segurança do país precisaram ser chamadas para conter muçulmanos que atearam fogo contra o templo que a família da criança frequentaria. Segundo o jornal britânico The Guardian, trata-se da pessoa mais jovem a ser acusada de blasfêmia no país asiático. 

A punição para o crime, amplamente criticada pela comunidade internacional, pode chegar à prisão perpétua ou à morte. Mesmo nos casos em que os acusados conseguem libertar-se, é comum que sofram perseguições da comunidade.

Em uma rede social, o primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, declarou que condena o ataque ao templo, que garantirá punições contra possíveis negligências da polícia e que o Estado vai restaurar o espaço destruído. A Anistia Internacional condenou a prisão do menino.

Em declaração divulgada nesta segunda (9), Rimmel Mohydin, representante da organização no sul da Ásia, disse que “a lei de blasfêmia no Paquistão vem há muito tempo sendo usada para atingir grupos minoritários, mas esse caso marca um ponto chocante e extremo.”

No Paquistão, a violência contra minorias religiosas, no caso os hindus, é comum. Nos últimos anos, foram registrados vários ataques contra locais de culto. A  blasfêmia é tratada de maneira rígida no país, onde até mesmo acusações não comprovadas de ofensa ao Islã podem levar a assassinatos e linchamentos.

14 comentários:

  1. Kkkk
    Jesus Cristo matavam as crianças ou os que não tinha crenças?
    Depois do deus ar-mi-nha acho que sim.
    Kkkk

    ResponderExcluir
  2. Se fosse aqui no Brasil com esses ministros e essa justiça safada ele cagava mandava tomar no toba e não dava em nada.

    ResponderExcluir
  3. Vivendo e entendendo por que o Brasil será eternamente uma bosta, os diabos petralhas e o Rabudo "mijaro, cagaro, peidaro, roubaro e saquearo" o país durante dezesseis anos e ainda mantiveram uma quadrilha no poder para lhes abençoar e perdoar os crimes. Quem está errado, afinal?

    ResponderExcluir
  4. Tá igual algumas pessoas retrógradas daqui, acho que falta pouco pra as pessoas daqui se tornarem assim.

    ResponderExcluir
  5. Isso é vagabundagem condenar uma criança pq fez xixi em um tapete é tanta crueldade que as pessoas tolas faz por causa de política

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tome uma garrafa de "marafo", fume um cigarrinho do Rabudo que você adora e vá até lá reclamar e fazer careta para os muçulmanos. Tenho absoluta certeza que receberás o merecido prêmio. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  6. O fanatismo por religão cega as pessoas...

    ResponderExcluir
  7. enquanto isso no brasil...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário das 21:43 enquanto isso no Brasil um ladrão pode ser candidato a presidente

      Excluir
  8. Aqui no Brasil ainda é pior eles mata o propio filho vai preso e ainda vira pastor evangélico cheio do espirito de jesus .

    ResponderExcluir
  9. Então,ao que foram contra penalizar a criança,saibam que um adulto de respeito vem de uma criança respeitosa.
    Tenho filha menina e quero passar pra ela todos os fundamentos antigos que recebi.e me tornei uma pessoa que repudia as drogas, RESPEITO a opção sexual de quem seja, enfim... Me tornei alguém sem muitos status pessoal,mais tenho minha procedência.

    ResponderExcluir
  10. Esse menino sabia que era errado? Se era sabedor merece ser punido mesmo,isso é rebeldia e falta de respeito com as leis dos outros
    Aqui no Brasil,as leis só servem para alguns,mais nesses países,aí a fora a lei è lei,tem que valer mesmo

    ResponderExcluir
  11. Esse é povo que a esquerda gosta de defender

    ResponderExcluir