terça-feira, 10 de agosto de 2021

Polícia procura suspeito de esfaquear grávida em Salvador; mulher levou 10 pontos após ser ferida pelo ex

A Polícia Civil segue em busca do suspeito de atingir a ex-companheira, grávida de seis meses, com uma facada, no bairro de Valéria, em Salvador. O crime ocorreu na segunda-feira (9), na frente do filho do casal. Ela conta que por pouco não foi morta e que as agressões são reincidentes, por isso solicitou uma medida protetiva para mantê-lo afastado.

A mulher, que prefere não ser identificada, conta que o homem chegou em casa procurando por ela e não a encontrou. Quando se viram, ela estava junto com o filho do casal, e o suspeito a agrediu com a arma branca.

“Quando ele conseguiu falar comigo, meu filho foi para perto dele. Ele me deu uma facada, só que cheguei para trás. Essa faca ia pegar no meu pescoço se eu não chegasse para trás. Ele queria me matar”, disse a mulher.

Ela foi socorrida pelos vizinhos para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Valéria, onde foi atendida e levou 10 pontos no ombro. Após o crime, o suspeito fugiu em um carro vermelho e até a publicação desta reportagem, não havia sido localizado.

A mulher afirma que esta não é a primeira vez que é agredida pelo ex, identificado como Caio Duarte da Silva Santos. Ela relata que há três meses passou por uma cirurgia, pois precisou colocar platinas e parafusos no corpo. Mesmo estado, recém-operada, ela foi agredida por ele, com socos no rosto, e foi atendida no Hospital Geral do Estado.

Em nota, a Polícia Civil disse que os casos de agressão estão sendo investigados pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Periperi. Ela foi ouvida na unidade e foi solicitada medida protetiva de urgência contra o acusado. Além disso, a PC disse que vai solicitar a prisão do agressor, além da busca e apreensão da arma usada no crime.

Um comentário:

  1. E a sociedade se cala, se fosse morte por tiro, briga ou qualquer outro assunto os jornalistas de comentários de plantão estaria aqui opinando. Como é sobre um tema sério e triste o licencio como sempre paira.Para mim a culpa de tanta violência é da sociedade, olha que comum, mulher apanhar? Passar por cirurgia, ser esfaqueada? Imagina o grau de sofrimento dessa mulher, grávida, será que tb não sofreu estupro? Enfim, depois de 15 anos da Lei Maria da Penha ainda lamentamos ao ler informações como essa e pergunto: cadê a polícia? Cadê os profissionais que a atenderam que não procederam em denunciar? E o puder público pq tão omisso como sempre, quantas mulheres precisarão sofrer ainda? Quantas? Indignada!

    ResponderExcluir