quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

MP-BA denuncia cinco PMs investigados por invasão e ataque a assentamento em Camaçari

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) denunciou os cinco policiais militares investigados por invasão e destruição das casas de 30 famílias no distrito de Catu de Abrantes, em Camaçari, região metropolitana de Salvador.

Os militares foram denunciados por furto qualificado, dano qualificado, incêndio e associação criminosa. O crime aconteceu no dia 20 de novembro e a denúncia foi divulgada pelo MP-BA nesta terça-feira (14).

Os policiais foram presos em flagrante pela própria Polícia Militar, que foi chamada pelos moradores da comunidade. Em depoimento, eles ficaram calados. Os presos estavam à paisana e fora de serviço no momento do crime. São eles: 

Antônio Carlos de Jesus Chagas, 56 anos – primeiro sargento;

Marcos Silva dos Santos, 41 anos – cabo;

Juvenal Silva de Oliveira, 45 anos – soldado;

Paulo César Santos de Sousa, 56 anos – primeiro sargento;

Marco Aurélio Conceição Nascimento, 48 anos – primeiro sargento.

Eles chegaram no local encapuzados, e usaram tratores e retroescavadeiras para derrubar os imóveis. Segundo os moradores, há uma especulação imobiliária para implantação de um condomínio de luxo no local. O nome da empresa ainda não foi detalhado.

O Ministério Público detalhou que, durante as investigações, foi identificado que os policiais lideraram, coordenaram e participaram do crime. Segundo o Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco), eles intimidaram os moradores e também pagaram ao menos 17 indivíduos para desocupar o terreno.

Para esses comparsas, os policiais pagaram R$ 200, pela participação no esquema. O MP-BA detalhou que os militares e os outros envolvidos se encontraram na Avenida Luís Viana, mais conhecida como Avenida Paralela, com os veículos e outros materiais, como foices, picaretas, marretas, martelos, enxadas e facões.

Eles seguiram para o Sítio Tererê, e além de destruir as casas, também atearam fogo nas casas, nos barracos e em bens materiais das vítimas. Por ser madrugada, os moradores – incluindo crianças – estavam dormindo e acordaram assustados. Assustados, eles fugiram dos imóveis e se esconderam no mato.

11 comentários:

  1. Tinha que colocar os 5, no paredão e cortar no aço esses marginais é por essas e outras,que eu não gosto dessa corja.

    ResponderExcluir
  2. O brasil não irá mudar nunca. Desde o descobrimento, as forças de segurança são compostas em sua maioria por marginais ! E agora com esse presidente mongoólide as coisas só estão piorando !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só cocô na sua cabeça

      Excluir
    2. Concordo, estão ousados demais esses pms, essa gente que quer que todo mundo baixa a cabeça para eles quando passar, fica parecendo uns pavão de arma na mão, basta ver um negro que para a viatura e da baculejo na frente de todo mundo, fazem umas abordagens truculentas em pobres, nos riquinhos e filhos de papai esses bolsominios manda até lembrança e passa pano. bolsomonions nojentos.

      Excluir
  3. Esses primeiros comentários, com certeza, deve ser de PILANTRAS que devem à polícia. IMBECIS, quem errar que pague!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não devo nada a essa justiça podre,vou refrescar sua memoria de cocô,quem foi os meliantes que assassinaram Pablo policiais militares,que em plena atividade, fazem serviços sujos para bixero mas me diga qual a novidade onde tem sujeira tem polícia no meio.

      Excluir
  4. * mongolóide e escroto

    ResponderExcluir
  5. SÃO DOIS PMS BOLSOMINIONS QUE PENSAM QUEA DITADURA MILITAR TINHA VOLTADO PENSARAM QUE O BOZZO NO PODER PODERIA FAZER O QUE QUERIA TOME DISTRAIDO PEDIMOS QUE SEJAM EXPULSOS DA POLICIA QUE FIQUEM DESEMPREGADOS E PASSEM FOME SEUS DESGAÇADOS, VAÕ TRABLHAR NA MILICIA PARA CORRER DA POLICIA PARA SABER O QUE É BOM SEUS LAZARENTOS DAS DESGRAÇAS.

    ResponderExcluir
  6. São todos milicianos. Acobertados por um Presidente marginal.

    ResponderExcluir
  7. A uns 02 meses atrás fui acompanha uma tia minha ao complexo para registrar um b o que teve seu celular subtraido durante um assalto,queriam que ela falasse até a cor da coeca do marginal,sem contar o cha de cadeira que eles dão no coitado do cidadão que ja ta ali destroçado ficsm dedfilando com o celular no ouvido depois de uns 40minutos,eu disse vamos embora não vai adiantar mesmo so correm atrás quando a vitma é rica.

    ResponderExcluir
  8. Policiais não. Milicos. Na Bahia, Rui Correria bota pra fora.

    ResponderExcluir