segunda-feira, 20 de junho de 2022

Fachin diz a Defesa que sugestões de militares serão avaliadas depois de 2022

Em nova tentativa de distensionar a relação com as Forças Armadas, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Edson Fachin, enviou um ofício para o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, para dizer que as sugestões dos militares de mudanças no sistema eleitoral serão consideradas para as eleições pós-2022.

O documento foi encaminhado na sexta-feira (17) e divulgado neste domingo (19) pelo TSE. Durante as eleições, quem estará à frente da corte eleitoral será o ministro Alexandre de Moraes, que assume o posto a partir de 16 de agosto.

"Como é do conhecimento de Vossa Excelência, a grande maioria das sugestões apresentadas no âmbito da Comissão foram acolhidas, a indicar o compromisso público desta Justiça Eleitoral com a concretização de diálogo plural não apenas com os parceiros institucionais, mas também com a sociedade civil", escreveu Fachin.

Nessa quadra, impende assinalar que, embora algumas sugestões não tenham sido acolhidas para esse ciclo eleitoral, serão consideradas para uma nova análise objetivando os próximos pleitos", completou.

O ofício de Fachin é uma resposta ao pedido do ministro Paulo Sérgio para o agendamento de uma reunião entre equipes técnicas do TSE e das Forças Armadas.

Segundo o general, o encontro serviria para "dirimir eventuais divergências técnicas" no debate sobre as eleições. Na resposta, Fachin disse que as dúvidas poderão ser tiradas durante reunião da CTE (Comissão de Transparência Eleitoral), da qual fazem parte técnicos das Forças Armadas e do TSE. A próxima audiência será na segunda-feira (20).

O presidente do TSE afirmou que espera contar com a presença do general Heber Portella, representante da Defesa no CTE. "Renovo o reconhecimento deste Tribunal não apenas pela contribuição das Forças Armadas no âmbito da Comissão, mas sobretudo pelo valioso suporte operacional e logístico prestado por elas em todas as últimas eleições", concluiu.

As Forças Armadas foram convidadas pelo ex-presidente do TSE Luís Roberto Barroso para integrar a CTE em meio às insinuações golpistas e ataques ao sistema eleitoral feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

Desde o fim de 2021, os militares fizeram mais de 80 questionamentos ao TSE, além de sete sugestões de mudanças nas regras das eleições. As recomendações foram rechaçadas pela Corte Eleitoral, em maio. Os técnicos do TSE apontaram erros em cálculos e confusões de conceitos utilizados pelos militares.

Após a rejeição das propostas, a relação entre o Ministério da Defesa e o TSE piorou. Além de ataques de Bolsonaro, o ministro Paulo Sérgio enviou documento ao TSE dizendo que as Forças Armadas se sentem desprestigiadas nas discussões.

"Até o momento, não houve a discussão técnica mencionada, não por parte das Forças Armadas, mas pelo TSE ter sinalizado que não pretende aprofundar a discussão", disse Paulo Sérgio, em 10 de junho.

Para evitar o aprofundamento da crise, Edson Fachin mudou o discurso na segunda-feira (13) e disse que defende o "necessário diálogo institucional" como meio para fortalecer a democracia.

13 comentários:

  1. DEPOIS QUE ELE EMPOSSAR O LADRÃO LULA,
    COM A ANUÊNCIA DO FROXONARO.

    ResponderExcluir
  2. O preguiçoso presidente bolsonaro tem que sair deste cargo pelo voto do povo no dia da eleição...O bolsonaro passou "quatro anos" só mentindo e nunca fez nada pelo Brasil...Fica passeando de moto pra cima e pra baixo e o povo se lascando com essa caristia terrível...💰💰💰

    ResponderExcluir
  3. A Bahia vota em Lula 13 presidente 🚩
    Gerônimo 13 governador pra Bahia continuar no caminho certo e agora junto com Lula presidente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei de qual Bahia você esta falando não. Sai da bolha, doente! Essa praga, esses demônios ladrões e comunistas do PT vão surgir nem aqui e nem em lugar nenhum, nunca mais!

      Excluir
    2. QUAL CAMINHO? CASO N SAIBA, TEMOS OS PIORES ÍNDICES DE EDUCAÇÃO E SEGURANÇA DO PAÍS. AHHH, RUI SUMIU COM DINHEIRO DOS RESPEITADORES, ISSO MATOU SENTENAS DE PESSOAS E ISSO É O CAMINHO CERTO? QUANTA IGNORÂNCIA...

      Excluir
  4. Querem dá um jeitinho de fraudar as eleições como fizeram antes. Dificilmente irão conseguir, a vantagem de Bolsonaro será gigantesca, apesar das pesquisas manipuladas. Lulaladrão não consegue colocar os pés na rua, e quando coloca, só tem a companhia de alguns fanáticos.

    ResponderExcluir
  5. Avaliação só depois das fraudes kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Quando fala em combustíveis e a gestão da Petrobrás. os bosominios nem comentam, quando fala em urnas eles se manifestam logo logo, doidos para fraudarem, ruma de loucos

    ResponderExcluir
  7. As cartas estão sobre a mesa. Vejamos como será o desenrolar desta arapuca.

    ResponderExcluir
  8. DOIS GRUPOS IDIOTALIZADOS.
    NUNCA SE VIU NO BRASIL ISSO, O FUMO TA ENTRANDO O CÁRA PASSEANDO DE MOTO TUDO CARO R OS BESTAS ACHANDO BOM
    AINDA FALAM DO LADRÃO LULA.

    ResponderExcluir
  9. PT nunca mais 🤮 🤮🤮🤑🤑🤮

    ResponderExcluir
  10. Se tiver eleição .

    ResponderExcluir
  11. Cuidado com esa gente.
    Política misturada com religião ( o atroso da humanidade) não combina.
    A RELIGIÃO é o ÓPIO DO POVO.
    Jesus Cristo nunca foi candidato a nada. Nunca apoiou candidato nenhum.
    Todo mundo tá doido atrás do dinheiro.

    ResponderExcluir