sexta-feira, 13 de outubro de 2023

Justiça procura homem apontado como chefe de uma das organizações criminosas mais letais da Bahia

A Justiça da Bahia procura um homem apontado como um dos chefes de uma das organizações criminosas mais letais da Bahia, que foi liberado para cumprir prisão domiciliar, em setembro. A decisão chegou a ser revogada por um desembargador, no início de outubro, mas ele não foi mais encontrado e é considerado foragido.

Ednaldo Freire Ferreira, de 42 anos, tem uma extensa ficha criminal. Há registros de prisões desde 2008.

No ano passado, o homem foi preso pela Polícia Federal na operação "Tarja Preta", que atuou para impedir a expansão de uma das organizações criminosas mais perigosas da Bahia e responsável por crimes como homicídios, tortura, tráfico de drogas e de armas.

No período em que ficou preso em Pernambuco - até conseguir o benefício da prisão domiciliar e fugir -, Ednaldo Freire Ferreira foi alvo de uma operação e isolado dos demais internos. Ele estava sendo investigado por comandar crimes aqui na Bahia, de dentro do presídio pernambucano.

Ednaldo Freire Ferreira foi preso no dia 5 de setembro no município de Sertânia, no estado de Pernambuco. No momento da prisão, ele dirigia um carro de luxo, quando foi parado sozinho em uma fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Em nota, a PRF disse que ele apresentou uma carteira de habilitação em nome de outra pessoa para tentar enganar os agentes. No entanto, o suspeito foi descoberto e logo identificado como um foragido da justiça baiana.

Em seguida, foi levado para um presídio de segurança máxima, em Pernambuco, mas não ficou lá por muito tempo.

Menos de um mês depois, a defesa de Ednaldo Freire Ferreira conseguiu na justiça baiana um habeas corpus que converteu a prisão preventiva em domiciliar. No processo, foi abordado que o suspeito tinha um filho com autismo severo, que é completamente dependente da figura paterna.

A defesa acrescentou ainda que a criança não se alimentava e apresentava dificuldade para dormir, vez que só dormia com o pai. A análise do pedido foi solicitada com urgência, com a justificativa de que naquele mesmo dia o menino teve uma nova crise de convulsão por causa do estado emocional vinculado à ausência de Ednaldo Freire Ferreira.

O habeas corpus foi concedido no dia 1° de outubro. O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) não divulgou quem foi o magistrado, e a assinatura dele também na aparece no final do documento.

Dentre os motivos para conceder o benefício, a decisão apresenta o artigo 318 do Código de Processo Penal, que prevê que o juiz pode substituir a prisão preventiva pela domiciliar quando o suspeito for imprescindível aos cuidados especiais de pessoa menor de seis anos de idade ou com deficiência.

MP-BA contesta e decisão é revogada

A decisão de permitir a reclusão domiciliar de Ednaldo Freire Ferreira foi questionada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), que pediu a revogação do habeas corpus. No documento, o órgão estadual questiona a decisão ter sido tomada no plantão judiciário, "haja vista que não se verifica a crucial urgência da medida pleiteada, a merecer atendimento imediato e extraordinário".

O MP-BA ressaltou também que o preso não é o único responsável pelos cuidados especiais do filho, e que não há comprovação de que ele seja fundamental para o desenvolvimento do menor.

A Justiça baiana acolheu os argumentos do Ministério Público. Na decisão, o desembargador Júlio César Lemos Travessa afirmou que está afastada por completo a competência funcional do plantão judiciário para atuar no caso em questão, inclusive por um imperativo de razoabilidade.

Por isso, determinou de forma imediata a expedição de um novo mandado de prisão. Isso aconteceu no dia 3 de outubro, mas Ednaldo Freire Ferreira não foi mais localizado pela Justiça.

O advogado criminalista Milton Jordão, que já foi membro do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária do Ministério da Justiça, confirma que a prerrogativa do Plantão Judiciário é atender casos de urgência e respaldados em provas.

"Qualquer advogado vai construir um habeas corpus e se esse é o pano de fundo, de que o filho está enfermo e necessita do pai, ele precisa juntar os laudos médicos, as comprovações disso", explicou o advogado.

"Não é a simples alegação do advogado que será fundamental, o Judiciário tem que ser cauteloso naturalmente e a defesa dos interesses de quem está preso deve providenciar o máximo de provas possíveis para dar tranquilidade para decidir respaldado nas provas".

16 comentários:

  1. Eu não considero ele foragido, afinal a matéria mesmo deixa claro "que ele foi posto em liberdade" para cumprir essas medidas cautelares de merda , que em nada ajuda a sociedade brasileira. O que os chefes das polícias deveriam fazer, era remeter o ofício pra a Assembleia Legislativa, para que os seu ilustres membro fossem cumprir a busca e apreensão dos que não voltam para cumprir suas penas. Afinal, eles que faz m esses leis medíocres, que só respinga no povo de bem.

    ResponderExcluir
  2. Olha, esse anjinho deve ser um amiguinho dos defensores de terroristas decapitadores de cabeças de crianças. Fácil compreender os motivos por que a "justiça" o trata com tanta benevolência, enquanto que outros apenas por que chamaram um LADRÃO de LADRÃO estão presos. O criminosos pode ser o maior ladrão ou maior assassino do planeta, mas se for um petralha, para a "justiça" brasileira é um anjinho descondenado. Que o diabo não diga AMÈM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, quanto ódio. Só uma dica pra vc: vc pode ser contra quem vc quiser , tem o direito de se revoltar, de se expressar por isso, ninguém vai te impedir, mas, cuidado com suas palavras que são claras a sua blasfêmia. -"Que o diabo diga AMÉM".O mundo tá precisando de paz , de amor. Não precisa de gente pra espalhar ódio.

      Excluir
  3. Não tem mais jeito, acabououou acabouboo,eh só desembargador na Bahia,sendo preso por estar recebendo propina,bandidos soltos,algum desembargador me diga que é mentira.

    ResponderExcluir
  4. Procurem ver o salário de um desembargador, para ver se os mesmo correspondem ao patrimoniio que tem a maioria são bandidos, conforme está se vendo na última operação que teve, uma grande parte presa, isso pq uma grande parte achou que não tinha que delatar, nao tem jeito acabou mesmo acaboooou acabou,acaboooou acabou,

    ResponderExcluir
  5. Esses homens cruéis do Hamas, bandidos,nojentos,ratos,são a nuvem dos nossos políticos, que vcs não querem enxergar

    ResponderExcluir
  6. Um juiz,desembargador,que profere uma,sentença por dinheiro,tem que ser quecondenado a prisão perpétua, aqui ele vai curtir,ganhando o mesmo salário,que ganhava,quem é mais bandido? Eles?ou os legisladores? Que vcs elesgem? Falei vcs mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Tenho um processo na tal justiça que está parado a quase um ano, mais pra soltar bandidos a tal justiça é rápida. Qual a justificativa$$$ pra conceder uma prisão domiciliar pra um bandido desse calibre.

    ResponderExcluir
  8. Só fica preso quem mata pra se defender... quem discordar do supremo isso sim que dar cadeia!!!

    ResponderExcluir
  9. Quem tem que pensar nos filhos são os pais.
    E como responsáveis por seu sustentos, inclusive emocional não cometer crimes.

    ResponderExcluir
  10. Aqui na Califórnia ta bagunçado nane na rua da glória vendendo drogas com dagalinha o ex marido leo n sai da rua da glória leo tá comendo a nega casa lá na rua da glória a nega casada ele tá com batida com p cara do jardim América ele só traindo a namorada dele com nega casada tenho os nomes das negas leo perigoso sua hora vai chegar

    ResponderExcluir
  11. Nesse país só fica preso que não tem grana pra bancar juízes e desembargadores!!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Ai é amigo de Reginaldo

    ResponderExcluir
  13. Judiciário como sempre acoitando bandido! Responsabilizam o policial que em exercício da sua função em troca de tiro no morro venha a acertar alguém(responsabilidade do criminoso que em suas ações ilegais dáinício ao confronto), mas não responsabilizam o juiz que solta o bandido dolosamente!

    ResponderExcluir
  14. Juiz é um bandido de Toga, muitos desses mesmo. Só que são psicopatas de alto padrão na vida

    ResponderExcluir