quarta-feira, 22 de novembro de 2023

Homem condenado por tentar matar namorada em atentado com 68 facadas na BA tem pena ampliada para 19 anos

O homem condenado por tentar matar a namorada em atentado com 68 facadas na Bahia teve a pena ampliada para 19 anos 10 meses e 5 dias, em regime fechado, conforme informado pelo advogado de defesa da vítima Levy Moscovits, nesta terça-feira (21).

A fisioterapeuta Isabela Conde foi vítima de tentativa de femicídio no ano de 2019. Fábio Barbosa Vieira, mandante do crime e que namorava com Isabela na época, foi condenado a 10 anos, 8 meses e 7 dias de reclusão, em regime semiaberto, em agosto de 2022. No entanto, com apelação da defesa neste ano, a pena foi alterada.

Alex Pereira dos Santos, acusado de tentar matar a fisioterapeuta a mando de Fábio, também teve o mesmo período de aumento de pena e em regime fechado.

"O tribunal acatou os nossos argumentos e majorou a pena dos réus, tanto de Fábio como de Alex. Sem dúvidas uma grande vitória na luta contra a violência doméstica contra a mulher e que esses julgados se tornem um símbolo contra todo e qualquer ato que represente misoginia, machismo e toda e qualquer forma de atentado contra a mulher", disse Levy Moscovyk.

Além de ser ferida com os golpes de faca, Isabela perdeu a visão de um dos olhos após ser vítima de uma emboscada planejada por Fábio Vieira. Fábio e Alex foram condenados com todas as qualificadoras: feminicídio, motivo torpe, meio cruel e que impossibilitou a defesa da vítima.

Meu coração está transbordando de emoção. Foram quatro anos de luta e eu não desisti da minha causa, mesmo com tantas dificuldades. Hoje eu tive uma resposta positiva ao saber que meu agressor vai estar em regime fechado.

Fábio Vieira foi pegar Isabela no trabalho com dois homens no carro e disse que ambos eram amigos dele. Quando o veículo passava pela Avenida Bonocô, uma das principais da capital baiana, os homens começaram a bater e esfaquear a fisioterapeuta, enquanto Fábio assistia a cena. Na época, a vítima relembrou o caso em entrevista à equipe da TV Bahia.

"Recebi um mata-leão dentro do carro mesmo. Eu perguntei: 'Fábio, o que está acontecendo?' Achei que os dois homens que estavam atrás tinham se revoltado e queriam me assaltar. Quando consegui folgar um pouco o braço [do homem], olhei para o lado e vi aquele homem frio, Fábio, dirigindo o carro tranquilamente. Eu falei: 'Fábio, me ajude'. E ele disse: 'Você vai morrer'", relatou.

Isabela relembrou ainda que precisou se fingir de morta para sobreviver. Convencidos de que a fisioterapeuta estava morta, os homens a jogaram em uma área de mata da BR-324, no trecho do município de Simões Filho, região metropolitana de Salvador. Ela foi socorrida por pessoas que passavam pelo local e levada para o Hospital do Subúrbio, na capital baiana.

No mesmo dia do crime, Fábio foi preso e conduzido para Central de Flagrantes, onde foi autuado por tentativa de feminicídio e sequestro. Já em 14 de março do mesmo ano, Alex Pereira dos Santos e Adriano Santos de Jesus foram presos suspeitos de esfaquearem a fisioterapeuta.

No entanto, segundo o advogado da vítima, Adriano Santos de Jesus foi liberado pela polícia ainda em 2019, já que foi apurado que ele não havia participado da tentativa de feminicídio.

Um comentário:

  1. Essa condenação não deve ser comemorada pela vítima como uma vitória, pois daqui a seis anos e alguns meses o meliante estará livre e pronto para outra tentativa. Isso se nesse intervalo os reis de brasilândia não mudarem as regras para proteger os "parças", o que é o mais provável.

    ResponderExcluir