quinta-feira, 9 de novembro de 2023

Jovem em situação de rua é morto após oferecer paçoca para criança em SC; veja o que sabe do caso

A Polícia Civil investiga a morte de Giovane Ferreira da Silva de Oliveira, de 29 anos, que vivia em situação de rua e foi esfaqueado durante uma discussão em Blumenau, em Santa Catarina. Segundo a investigação, ele vendia paçocas, quando teria oferecido para uma criança e o pai dela não gostou. Uma briga foi iniciada e a vítima acabou sendo morta. O autor, identificado como Gleidson Tiago da Cruz, de 40 anos, está preso.

O caso aconteceu na última sexta-feira (3), no bairro Victor. O morador de rua estava na frente de um supermercado vendendo paçocas, quando viu a menina e teria oferecido o doce à ela. O pai da criança se aproximou e alegou que o jovem “colocou o doce na boca” da filha e uma discussão foi iniciada. Cruz disse Oliveira também ameaçou sua família, mas nenhuma testemunha presenciou os fatos.

Conforme a polícia, durante a discussão, o pai pegou uma faca e esfaqueou o morador de rua cinco vezes. O jovem não resistiu aos ferimentos e morreu.

Cruz foi preso em flagrante e autuado pelo homicídio. Ele passou por uma audiência de custódia no sábado (4), quando teve a prisão mantida.

O caso segue sendo apurado pelo delegado Rafael Lorencetti, que solicitou imagens de câmeras de segurança dos estabelecimentos da região para ver como foram as circunstâncias do crime. Ele destacou que o autor e a vítima não se conheciam antes e que ambos não tinham passagens pela polícia.

Defesas

Ao site G1, a advogada Maria Cecília, que representa os familiares de Oliveira, destacou que, apesar de viver em situação de rua, o rapaz mantinha vínculos com os parentes. “A família quer que a justiça seja feita. A vítima não era apenas um vendedor de paçocas que morava na rua. Giovane era filho, irmão, tio, sobrinho, muito amado pela família. Geovane era amoroso com as crianças e não era agressivo”, disse.

“Apesar de estar em situação de rua, ele frequentava a casa da família semanalmente. Não se pode admitir que um crime bárbaro como esse, disseminado pelo ódio às minorias seja aceito pela população. Acreditamos na polícia e no Poder judiciário para que este caso seja resolvido o mais rápido possível”, ressaltou a defensora.

Já o advogado Rodolfo Warmeling, que defende Cruz, reforçou ao G1 que a vítima teria colocado o doce “na boca da criança” e que seu cliente se afastou, quando o morador de rua teria se aproximado, chutado o carrinho de bebê e ameaçado a família. Assim, o pai agiu em legítima defesa. “A discussão evoluiu e entraram em luta corporal”, destacou.


12 comentários:

  1. Ele quebrou o carro da filha do cara, esfaqueou a mão desse cara, porque tentou se defender, senão teria esfaqueado alguma parte vital do cara, e aí quando ele revidou, virou essa comoção toda. O homem tá com uma filha, vem um desconhecido e tenta agredir ela e esfaquear o pai, não tem pai que fique de cabeça fria prar defender uma filha pequena. A história começou com a paçoca, mas virou outra coisa totalmente diferente. Não foi porque o morador de rua ofereceu a paçoca que o cara revidou o ataque dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valentão so se fode, quando n morre tira a vida de outra pessoa e vai fica 20 anos em cana sem ver a filha crescer e ainda vai ter um ricardao comendo a mulher dele, era melhor só ter pego a filha e saido do local, bem mais negócio! Essa sua fala ai, vc tava no local? Ou so ta baseando em fofoca? Enfim, se fosse tudo isso q vc falou ia até uma delegacia e registrava um b.o, hj ia ta de boa com a familia, matou o cara e hj acordou numa cela com outros homem, olha ai o rumo q ele tomou na vida.

      Pega visao maluco.

      Excluir
    2. A sua versão é igual a do advogado do assassino. Vc é advogado dele ou só gosta de defender assassino?

      Excluir
    3. Como o cara se ateve a falar tanta merda ? Ele fala que o morto "quebrou o carro da filha do cara...." A criança tem carro ? Onde ele leu isso?? Idiota de pai e mãe.

      Excluir
  2. Tá vendo aí bem que tava achando estranho a história de ser só pela paçoca.

    ResponderExcluir
  3. o pai da crianca agiu em legitima defesa e agiu certo eu sou pai e tbem faria o mesmo pra defender minha filha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ia comer uma cana pesada.

      Excluir
    2. Legitima defesa porque só porque o cara está em situação de rua, isso não quer dizer que ele é ladrão e iria abusar da filha dele, isso também é preconceito, pós qualquer um de nós estamos sujeitos a ficar em situação de rua, cade a empatia não tem só tem ele só tem insegurança agora meu velho se acerta com ajustiça.
      Agora ficam estes puxa-sacos do infrator querendo amenizar o que não tem amenização.

      Excluir
  4. Cara, fui questionar essa história com meus tios e primos que moram em Joinvile e não tem nada disso, O morador de rua não ofereceu nenhum risco, tanto que o cara tá preso. Parem de mentir para defender atos violentos.

    ResponderExcluir
  5. Quem tá defendendo o assassino com certeza é bolsonarista, quer apostar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para de falar bobagem! Petista adora defender um bandido e ninguém comenta.

      Excluir